Cultivando

 O cupuaçueiro (Theobroma grandiflorum) é uma fruteira nativa da região amazônica e foi introduzida no sul da Bahia em 1930, na antiga Estação Experimental de Água Preta, no município de Uruçuca. Geralmente é procurado pelo sabor típico de seus frutos, em que há o aproveitamento da polpa e das sementes pelas indústrias alimentícias e de cosméticos, em virtude de suas propriedades sensoriais e químicas. O seu fruto mede de 12 a 15 cm de comprimento e tem de 10 a 12 cm de diâmetro, apresentando em média peso de 1 kg, sendo 30% de polpa e 35 sementes.

 

 Por ser uma espécie de boa adaptação à sombra, o cupuaçu propicia a formação de consórcios com outras plantas de porte florestal, permitindo bons resultados econômicos e ecológicos. É uma fruta tropical com grande potencialidade econômica para a região sudeste da Bahia. No Estado, a área cultivada é de aproximadamente 1.200 ha, sendo mais da metade em desenvolvimento. A produção de polpa é estimada em 300 toneladas, sendo que cada planta produz de 30 a 40 frutas por ano.

 

CLIMA E SOLO

 

 O cultivo é recomendado em regiões com temperaturas médias anuais superiores a 22ºC, pluviosidade acima de 1500 mm bem distribuídos e umidade relativa do ar acima de 75%. É uma cultura adaptada em terra firme, podendo ser cultivada em solos de baixa, média e alta fertilidade, com boa estruturação física. Os solos mais recomendados são os areno-argilosos, profundos e com boa drenagem.

 

VARIEDADES

 

 As variedades conhecidas e exploradas comercialmente estão agrupadas conforme o formato dos frutos:

 

 ► Cupuaçu-redondo - fruto com extremidades arredondadas, casca com 6 a 7 mm de espessura, peso médio de 1,5 kg, sendo o tipo mais cultivado na região amazônica.

  Cupuaçu-mamorana - fruto com as extremidades alongadas, casca com 6 a 7mm de espessura, pesando em média 2,0 kg.

 

 ► Cupuaçu-mamau – também conhecido como “sem-caroço”, tem formato semelhante ao cupuaçu-redondo, caracteriza-se por não apresentar sementes. O peso médio do fruto é de 2,5 kg, chegando a atingir 4,0 kg.

 

O rendimento médio da variedade sem-sementes é de 70%, enquanto os com sementes é de 30%.

 

FORMAÇÃO DE MUDAS

 

 No plantio comercial de cupuaçu deve-se utilizar mudas propagadas por semente ou por via vegetativa, através da enxertia. O cupuaçueiro é formado à semelhança da muda de cacau. As sementes devem vir de plantas matrizes produtivas e sadias e de frutos com boas características de rendimento de polpa.

 As sementes devem ser despolpadas e posteriormente lavadas e colocadas para secar à sombra por dois dias. A seguir, são colocadas diretamente em sacos de polietileno ou para germinação em leito de areia e pó de serra curtido na proporção 1:1.

 Em condições normais as mudas germinam após o décimo quinto dia. No caso de sementeira, podem ser transplantadas quando estiverem com 10 a 15 cm. Depois, devem ser mantidas em viveiro coberto até alcançarem 30 centímetros de altura (4 a 5 meses).

 Em caso de enxertia, o material a ser enxertado (garfo ou borbulha) deve vir de ramos já produtivos e de diferentes plantas matrizes, para evitar a auto-incompatibilidade na polinização.  Na Bahia, a pesquisa básica de melhoramento genético do cupuaçueiro visa a obtenção de clones produtivos, com frutos de bom tamanho e rendimento em polpa, resistência a pragas e doenças e ampliação do período de colheita durante o ano.

PLANTIO

 

 O cupuaçueiro desenvolve-se melhor com sombreamento nos dois primeiros anos, podendo ser cultivado a pleno sol ou em sombreamento pouco denso. Portanto, pode ser instalado em capoeiras ou em sistemas de consórcio com outras espécies como a bananeira, a pupunheira, a seringueira e outras plantas de porte florestal. O plantio das mudas deve ser feito em covas de 40 x 40 x 40 cm, adubadas com 10 litros de esterco curtido e mais 100 gramas de superfosfato triplo. Usa-se cobertura morta em volta das mudas, a fim de manter a umidade do solo e controlar o desenvolvimento de ervas daninhas. 

 As mudas provenientes de sementes são plantadas quando atingem de 5 a 6 meses de idade e uma altura de 40 a 50 cm. As mudas enxertadas oriundas de matrizes selecionadas com produtividade média acima de 40 frutos por planta/ano e peso médio de frutos entre 1 a 1,5 kg, com 8 a 9 meses de idade, medindo 70 a 80 cm de altura, devem ser plantadas em covas de 4 metros em todas as direções e em espaçamentos que variam de 5 x 5 m até 8 x 8 m em triângulo equilátero.

 Antes do estabelecimento do pomar, recomendam-se dois tipos de sombreamento: o provisório - utilizando a cultura da bananeira em espaçamento de 3 x 3 m e um sombreamento definitivo, utilizando-se plantas de porte florestal de valor econômico, a exemplo de cajazeira e seringueira nos espaçamentos que variam de 15 x 15 m a 20 x 20 m.

 

 

 

ADUBAÇÃO E CALAGEM

 

 As adubações devem ser realizadas em função dos resultados da análise química do solo. No geral, as formulações e doses de adubos orgânicos e minerais preconizadas são baseadas em observações de natureza prática.

 Para solos de baixa fertilidade, recomendam-se os seguintes procedimentos de adubação:

- Para o primeiro ano de plantio, 300g de formulação 10-28-20 (NPK) por planta, em 4 aplicações de 100g, com intervalo de 3 meses;

- No segundo ano, 500g/planta, com o mesmo intervalo de aplicação;

-A partir do terceiro ano, 200g/planta/aplicação, parcelada em três vezes no ano.

 

ESPAÇAMENTO

 

 O espaçamento varia de acordo com o tipo de muda, que pode ser pé-franco (mudas formadas de sementes) ou enxertada. Para as mudas de pé-franco, recomenda-se o espaçamento de 7 x 7 m em triângulo equilátero, permitindo uma densidade de 244 plantas/ha. Para plantio das mudas de enxertia, que apresentam menor porte, recomenda-se o espaçamento de 6 x 6 m em triângulo equilátero, permitindo uma densidade de 319 plantas por hectare.

 

TRATOS CULTURAIS

 

 Controle de ervas daninhas – as plantas daninhas dificultam o crescimento normal das plantas. Recomenda-se efetuar de dois a três coroamentos e até três limpas durante o ano.

 

Podas – as podas de formação e manutenção objetivam manter a planta com porte baixo, facilitar os tratos culturais e reduzir o impacto dos frutos na queda. A poda de formação é efetuada no primeiro ano de idade da planta, cortando-se o broto terminal após o primeiro ou segundo fuste para promover a divisão do tronco principal em dois. A poda de manutenção direciona a distribuição dos galhos e elimina os ramos indesejáveis, secos ou doentes.

 

COLHEITA E PRODUÇÃO

 

 A colheita é realizada de quatro a cinco meses após a floração. A colheita é feita manualmente, duas ou três vezes por semana, coletando-se os frutos maduros após a queda. A partir das primeiras safras, as plantas começam a produzir em escala crescente, até a estabilização, que ocorre no quinto ano após o plantio.

 O rendimento médio do fruto é de 36% de polpa, 46% de casca e 18% de sementes. A produtividade média nas condições do sul da Bahia é de 40 frutos/planta/ano.

 

COMERCIALIZAÇÃO

 

 A exemplo da maioria dos produtos agrícolas, a comercialização do cupuaçu é feita diretamente do produtor para o intermediário, ou o produto é colocado nas Centrais de Abastecimento das regiões produtoras. Os preços variam em função do excesso ou escassez da produção. No sul da Bahia a comercialização é feita às margens de rodovia, em feiras livres e diretamente com as indústrias processadoras de polpas da região e até de outras regiões do país.

 

PRODUTOS

 

 O cupuaçu é utilizado na elaboração de sorvete, néctar, doce, geleia, iogurte, licor, xarope, biscoito e bombom. Na culinária doméstica, a polpa tem larga aplicação, com destaque para cremes, pudins, tortas, bolos e pizzas. As sementes servem para a fabricação do cupulate, produto com características nutritivas similares às do chocolate; já a gordura, é utilizada na indústria de cosméticos.

 Para cada 100 kg de sementes frescas, são obtidos 45,5 kg de sementes secas, 42,8 kg de sementes torradas e 31,2 kg de amêndoas sem casca. Destas, pode-se obter 13,5 kg de manteiga de cupuaçu.

 

 

 

Gilberto de Andrade Fraife Filho

Engenheiro Agrônomo – MS Fruticultura/ Ceplac-BA

Cupuaçu
Theobroma grandiflorum

Cupuaçu
Theobroma grandiflorum

O Cupuaçu é conhecido na Amazônia como
“a farmácia em uma fruta”

 

 E poderia ser considerado como uma super fruta, além dos benefícios o Cupuaçu é muito nutritivo. O Cupuaçu contém polifenóis únicos, poderosos fito-nutrientes antioxidantes, além de outros nove poderosos antioxidantes como as Vitamina A e Vitamina C, ácidos gordos essenciais, aminoácidos, fósforo, fibra e as Vitamina B1, Vitamina B2 e Vitamina B3.


 O cupuaçu é extremamente popular na América do Sul e especialmente no Brasil. Alguns especialistas dizem que ele ainda será mais popular do que o açaí, já que os benefícios do cupuaçu são maiores que os do açaí e possui maior facilidade de crescimento, sem destruir florestas tropicais.

 

 Fruto típico da região amazônica, dono de um perfume doce, forte e bastante singular, o cupuaçu pode chegar a medir até 25 centímetros, e apresenta uma forma oval. Provindo de uma árvore de 15m de altura chamada cupuaçueiro, o fruto apresenta uma cor castanha escura que dá um aspecto feio e estranho, mas ele apresenta uma enorme bagagem de benefícios para a nossa saúde e o nosso organismo. Ele pode ser acrescentado à sua dieta em forma de mousse, geleias, doces, sorvetes, compotas, licores, vinhos, e o mais clássico: pelo sumo, que apresenta um sabor azedinho e suave. Ele também é muito utilizado na produção de cosméticos, apresentando um maravilhoso efeito de protetor solar, protegendo nossa pele do cancro e de outras doenças características.

Benefícios do cupuaçu para nossa saúde

1. Ajuda na função metabólica

 

 Em alguns países, o cupuaçu é vendido como comprimido ou em pó, como nos Estados Unidos. Como ele auxilia na função metabólica, ele é um suplemento extremamente eficaz para a perda de peso e de gordura corporal.

 Esse processo acontece pois seus micronutrientes aumentam os níveis de energia, o que consequentemente aumenta a perda de gordura e evita que ela seja armazenada.

 Outro ponto positivo é que os benefícios do cupuaçu são comparados aos efeitos da cafeína, mas por não ter cafeína em sua composição, o cupuaçu é considerado ainda mais saudável. Além disso, uma de suas funções primárias é de estimular o sistema imunológico.

 

2. Melhora o funcionamento do intestino e dores abdominais

 

 Os benefícios do cupuaçu ao funcionamento do intestino se dão graças às vitaminas e minerais em sua composição, que estimulam o sistema gastrointestinal.

 Antigamente, as sementes de cupuaçu eram usadas nas aldeias indígenas para pessoas com dores abdominais ou para mulheres com dor de parto. Eles mastigavam a semente com o intuito de melhorar essas dores. Outro fato cultural usado por índios era o suco da fruta, que era abençoado por xamãs e dados a mulheres grávidas e recém-casados que desejavam ter filhos.

 Por conta desse fato, até atualmente a fruta é utilizada para pessoas com dores abdominais.

 

 

3. Fornecedor de Energia

 

 Assim como o açaí, o cupuaçu é um ótimo alimento para ser usado antes de alguma atividade física para gerar uma boa quantidade de energia.

 Por aumentar o nível de energia, o cupuaçu auxilia em uma maior queima de calorias. Ele possui o efeito semelhante da cafeína, como dito anteriormente, e ainda mais saudável. Uma boa dica é misturar o açaí com o cupuaçu, gerando maior energia com o sabor ficando inigualável.

 

 

4. Auxílio na perda de peso e redução de gordura

 

 A vitamina C, presente na fruta, auxilia na perda de peso e de gordura corporal naturalmente pois produz a carnitina, uma substância que transporta as células de gordura para as mitocôndrias, onde há a transformação de gordura em energia.

 Quando os níveis de vitamina C do corpo diminuem, não há a produção de carnitina suficiente, havendo o excesso de gordura. Ou seja, graças à presença da vitamina C, a queima de gordura e a consequente perda de peso são benefícios do cupuaçu para a boa forma.

 Quando o corpo possui quantidades baixas de vitamina C, o hormônio do estresse, o cortisol, é liberado na corrente sanguínea. A presença de muito cortisol estimula o ganho de peso, pois o hormônio “avisa” ao cérebro para estocar gordura no abdômen. Com a ingestão do cupuaçu e consequentemente vitamina C, há o balanço do nível de cortisol.

 Por ser um excelente antioxidante, a vitamina C também previne o envelhecimento e doenças degenerativas. Além disso, é fundamental na formação do colágeno (proteína que estrutura vários tecidos, como a pele), deixando a pele mais firme e com mais elasticidade.

5. Ação anti-inflamatória

 

 O consumo frequente de cupuaçu combate inflamações e fadiga.

 

 

6. Maior saciedade

 

 Por conter muitas fibras em sua propriedade, a fruta promete garantir maior saciedade por mais tempo, outro ponto positivo para usá-la nas dietas.

 

 

7. Combate ao câncer e rejuvenescimento

 

 Cientistas descobriram um novo antioxidante presente na fruta, o Theograndins. Ele mostrou autonomia e promete destruir células cancerígenas do cólon e combater danos dos radicais livres, que são os responsáveis pelo envelhecimento precoce. Por isso que ele é considerado como uma fonte da juventude.

 

 

8. Níveis de colesterol ruins diminuídos

 

 Os ácidos graxos essenciais encontrados no cupuaçu também diminuem o colesterol e neutralizam os efeitos nocivos do colesterol ruim. Isso acontece porque ele defende o organismo contra a deterioração oxidativa de lipídios.

 

 

9. Pele saudável

 

 Conhecida por ser a fonte da juventude, é possível encontrar a fruta na composição de alguns produtos estéticos, como shampoos, cremes hidratantes, etc.

 

 

10. Desintoxicante

 

 O cupuaçu é um excelente detox! Seus antioxidantes eliminam as toxinas das células, que provocam seus inchaços e mau funcionamento, além de combater pequenas inflamações e infecções. Em resumo, o cupuaçu ajuda a combater os inchaços provocados por retenção de líquido e intoxicações, além de ajudar a diminuir as celulites.

 

 

11. Relaxante (folhas):

 

 Parece controverso, uma vez que a fruta oferece uma grande quantidade de energia, porém, as folhas do cupuaçu tem uma forte ação calmante, sendo o chá excelente para combater insônia, bronquites e infecções renais.

 

 

12. Auxilia a regeneração muscular:

 

 Suas grandes quantidades de fibras, fósforo e aminoácidos ajudam o fortalecimento muscular e a sua regeneração após a prática de exercícios físicos.

 

 

13. Combate os radicais livres:

 

 Os antioxidantes do cupuaçu combatem a formação dos radicais livres, que causam oxidação das células e o aparecimento de doenças degenerativas. Dessa maneira, ele combate o envelhecimento precoce e a formação de células cancerígenas.

    Acredita-se ainda que existem outros benefícios do cupuaçu para a saúde, tais como:

 

 ► Fortalecimento do sistema imunológico;

 ► Ajuda na melhoria da memória;

  Mantém o humor balanceado;

 ► Estes dois últimos benefícios do cupuaçu são atribuídos à composição de ácidos graxos da fruta.

 

 

Propriedades

 

 Sua composição nutricional é rica. O cupuaçu possui fito nutrientes antioxidantes; nove antioxidantes poderosos como a vitamina A e vitamina C; vitaminas B1, B2, B3, aminoácidos, polifenóis únicos; fibras, e além disso também possui minerais como cálcio, fósforo, selênio, entre outros.

 

 

Dicas

 

 O cupuaçu pode ser consumido de várias maneiras. Suas sementes podem ser refinadas do   mesmo modo que fazem com o cacau, e podem ser adicionadas em algumas bebidas.

 A fruta pode ser adicionada à sua dieta sobre diversas formas, entre elas: mousses, licores, vinhos, geleias, sorvetes e outros doces a partir de sua polpa. Algumas pessoas utilizam a fruta como um suplemento dietético.
 Outra dica interessante é a manteiga de cupuaçu, ela é cremosa e transmite benefícios do cupuaçu para a pele, entre eles retardar o envelhecimento precoce, aumentar a elasticidade, reduzir o aparecimento de rugas, calmante de irritações da pele, hidratante para a pele e também pode ser usada como um protetor solar natural, pois consegue bloquear os raios UVA e UVB de chegar ao tecido.