Fontes e referências:
http://estudeagronomia.blogspot.com.br

Como Fazer uma Cova simples para Plantio de Pomar 


 Não existe um modelo ou método único de plantio de frutíferas, antes é necessário atentar para as necessidades de cada planta, pois cada uma tem sua própria característica e necessidades, tal como, de adubação, irrigação, iluminação, entre outras. Em caso de dúvidas procure orientações de um engenheiro agrônomo. Porém veremos a seguir um método básico de plantio de frutíferas em pomar.


 Após definida a cultivar e a forma de obtenção da muda, bem como efetuado o preparo preliminar da área do futuro pomar, deve-se proceder uma análise do solo para as correções de pH e fósforo. Essas correções devem ser realizadas com, no mínimo, 30 dias antes do plantio das mudas e, de preferência, em toda a área do pomar. Em solos com baixo teor de matéria orgânica, pode-se utilizar a aplicação de composto orgânico ou esterco, conforme análise do solo, 30-60 dias antes do plantio.

 Entre o arranque das mudas do viveiro e o plantio, deve transcorrer o menor intervalo possível. Durante esse período, deve-se manter as mudas umedecidas e em local sombreado, preferencialmente com as raízes em areia úmida. A época mais adequada para o plantio é quando as mudas encontram-se em repouso vegetativo. Normalmente, o plantio ocorre entre julho e agosto. 
 

  O próximo passo é abrir a cova, a abertura das covas deve obedecer algumas recomendações, como por exemplo, a dimensão mínima de 50 x 50 x 50 cm. A abertura das covas pode ser feita manualmente ou mecanicamente com sulcador acoplado ao trator ou outro equipamento similar  No exemplo abaixo será mostrado  como se deve fazer a abertura da cova com diâmetro e profundidade igual a 60 cm. Inicia-se com a remoção  da terra para um dos lados da cova, dos primeiros 20 cm de solo (superfície), onde se encontra a terra mais fértil. Os 40 cm seguintes, cuja fertilidade é menor, deve ser posto separado.

Figura 1: Na abertura da cova, deve ser obedecida a separação do solo da superfície e do fundo da cova.

Figura 2: Terra de baixo da cova para um lado e terra mais fértil de cima para outro lado

 No fundo da cova, colocamos 10 kg de adubo orgânico curtido (10 kg se for de bovinos ou 4 kg se for de aves), 1 kg de calcário dolomítico e 100 g de cinza de lenha ou farinha de osso (não pode ser cinza de churrasco porque tem muito sal de cozinha que mata as plantas), também é recomendado colocar 250 à 500 gramas de fósforo (pode usar super fosfato simples, fosfato natural reativo, etc e 100 gramas de potássio (pode usar cloreto de potássio, etc).  Este material deve ser misturado com a terra fértil dos primeiros 20 cm;

 OBS: Depois de fechar a cova esperar por 30 dias para que ocorra reação dos adubos e do calcário para depois abrir novamente a cova e plantar a muda. Pode prejudicar a planta se o adubo orgânico não estiver curtido (esperar de 60  a 90 dias dependendo do tipo( suino, bovinos, aves).


 Aberta a cova depois de esperar o tempo necessário, prepara-se a muda, retirando-se o recipiente que a acondiciona, caso contrário, a raiz não se desenvolverá. Retira-se a muda com o torrão de terra, sem quebrar o torrão. Lembre-se de recolher o recipiente, principalmente os de plástico que não são biodegradáveis. Dependendo do tipo de recipiente, você poderá reutilizá-lo para a formação de uma nova muda ou destiná-lo à reciclagem;

 Feito isto, cheque a profundidade, ajustando-a se necessário de acordo com a altura do torrão, utilizando-se da terra retirada do fundo da cova;

 Após esse procedimento, o local está pronto para receber a muda. Então, coloca-se a muda, de forma centralizada ao diâmetro da cova, certificando-se de que está reta e tomando-se o cuidado para que o torrão ou a parte das raízes seja colocado sobre o material adubado;

 Para fixar a muda, devemos utilizar a terra retirada do fundo, pressionando um pouco o chão para deixar a muda firme. Cuidado para colocar a parte onde ocorre o contato do tronco com o sistema radicular no nível do solo da cova. Fora desta posição a planta pode morrer. No local da cova, o terreno pode ficar uns 2 cm abaixo do nível do solo, o que facilita a retenção da água da chuva ou durante as regas;

  O último passo é proteger a muda. Contra ventos, podemos utilizar um tutor, que consiste numa estaca reta e forte onde o tronco da muda deve ser amarrado com uma laçada em "8". Um dos elos do "8" amarra a planta e outro o tutor. Nunca deixe que o barbante "estrangule" a haste da muda. Essa amarração deve ser feita de forma folgada, permitindo que o tronco cresça livremente. Outro cuidado importante é a colocação de uma camada de folhas ou palha seca (matéria morta) ao redor da muda, o que favorece a retenção da umidade. Caso necessário, podemos providenciar a instalação de um protetor (gradil) confeccionado em madeira, bambu, tela ou outro material disponível, com a finalidade de proteger a muda de ataque de animais ou vândalos. Por último, realiza-se a rega.

  Agora, é só garantir as condições adequadas para o desenvolvimento da muda, regando, limpando galhos mortos, adubando, cuidando do ataque de formigas e, principalmente, tendo muita paciência.