Cultivando


 

 

 


 

 Cultivares: de polpa vermelha – Carmesim (IAC 2-41), Rosa Paulista (IAC 2-51), Rosa Mineira (IAC K-48), Grancuore (IAC 2-16), Januária (IAC K-52), Centenária (IAC SR-51) e Harry Pieckstone (introdução); de polpa amarela: Gema de Ouro (IAC K-43), Golden Talismã (IAC K-16), Kelsey-31 (IAC K-31), Kelsey Paulista; Reubenel e GulfBlaze (introduções).


 

  Plantio: utilizar mudas enxertadas em pessegueiros de sementes, de preferência do cultivar Okinawa, resistente ao nematóide de galhas. Mudas de raízes nuas: plantio em julho e agosto; em recipientes: em qualquer época, de preferência na estação das águas.


 

  Espaçamento: 6 x 5m (plantio convencional); 4 x 2m a 5 x 3m (plantio adensado).


 

  Mudas necessárias: 330; 666 a 1.250/ha, de acordo com o espaçamento.


 

  Controle da erosão: plantio em nível ou cortando as águas, patamares ou banquetas, nos terrenos mais declivosos; capinas em ruas alternadas; roçadeira na época das águas; utilização de cobertura morta nas linhas ou sob a copa das plantas.


 

  Calagem: de acordo com a análise de solo, aplicar o calcário para elevar a saturação por bases a 70%, distribuindo corretivo por todo o terreno, antes do plantio ou mesmo durante a exploração do pomar, incorporando-o mediante aração e/ou gradagem.


 

  Adubação de plantio: aplicar, por cova, 2kg de esterco de galinha ou 10kg de esterco de curral, bem curtidos, 1 kg de calcário magnesiano, 200g de P2O5 e 60g de K2O, pelo menos 30 dias antes do plantio. Em cobertura, a partir de brotação das mudas, ao redor da planta, aplicar 60g de N, em quatro parcelas de 15g, de dois em dois meses.


 

  Adubação de formação: no pomar convencional, de acordo com a análise de solo, aplicar 60 a 120 g/planta de cada um dos nutrientes: N, P2O5 e k2O, por ano de idade, sendo o N em quatro parcelas, de dois em dois meses, a partir do início da brotação.


 

  Adubação de produção: no pomar adulto convencional, a partir do 5º ano, dependendo da análise de solo e da produtividade, aplicar anualmente, 3 t/ha de esterco de galinha, ou 15 t/ha de esterco de curral, bem curtidos, e 100 a 200 kg/ha de N, 20 a 120 kg/ha de P2O5 e 30 a 150 kg/ha de K2O. Após a colheita, distribuir esterco, fósforo e potássio, na dosagem anual, em coroa larga, acompanhando a projeção da copa no solo. Aplicar o nitrogênio em quatro parcelas, em cobertura, de dois em dois meses, a partir do início da brotação.


 

  Observação: Para plantios adensados, aplicar os adubos, no pomar em formação e no adulto, de modo similar aos plantios convencionais, reduzindo as dosagens proporcionalmente à área ocupada por planta.


 

  Irrigação: indispensável nas estiagens – em sulcos, bacias, gotejo ou aspersão; para sua substituição parcial, utilizar cobertura morta.


 

  Outros tratos culturais: capinas, roçadeira nas águas, podas de formação e de limpeza, desbrotas e desbaste dos frutos. No inverno, eliminação de ramos em excesso ou doentes com algum encurtamento.

  Controle de pragas e doenças: no inverno – calda sulfocálcica concentrada, cianamida hidrogenada (para quebra da dormência) e caiação do tronco; na vegetação – fungicidas: mancozeb, thiram; inseticidas – formothion, trichlorfon, deltamethrin, carbaryl, fenthion; acaricida – enxofre; bactericida – terramicina.

  Colheita: setembro a fevereiro, conforme o cultivar e região; safras comerciais, a partir do segundo ano de instalação do pomar; colheita manual dos frutos no estádio de vez.

  Produtividade normal: 15 a 45 t/ha de frutos em pomares adultos, racionalmente conduzidos e conforme o espaçamento.

Fonte: Boletim, IAC, 200, 1998.

Ameixa

Prunus salicina Lindl.

Características
Fotos de Algumas Variedades:
AMEIXA REUBENNEL ou RUBIMEL
Ameixa Polli Rosa
Ameixa Santa Rita
Ameixa Amarelinha

AMEIXA DE NATAL ou AMEIXA AFRICANA

(Carissa macrocarpa)

Ameixa Piuna

Ameixa Wade
Ameixa Blackamber

Ameixa

Prunus salicina Lindl.

Os benefícios da Ameixa para a nossa saúde!

  A Ameixa (Prunus salicina) é comumente referida como japonesa, lembrando a sua origem. Frutífera arbórea de clima temperado, de folhas caducas, da família Rosaceae, requer o uso de variedades pouco exigentes de frio, especialmente selecionadas às condições climáticas locais.
 

  Em São Paulo e nas regiões de ecologia similar dos Estados vizinhos, é uma das frutíferas de maior difusão nos últimos anos, graças, principalmente, ao plantio de variedades selecionadas no Instituto Agronômico. A produção de ameixas destina-se, na quase totalidade, ao consumo in natura, no mercado interno, porém com boas perspectivas de exportação.

 

    Os frutos prestam-se também ao aproveitamento industrial, em forma de passas, geléias, licores e destilados. Veja agora os seus benefícios:

1  Contra a Obesidade: 

 

 Os Extratos da ameixa são valiosos para o tratamento da obesidade e outras complicações associadas com a obesidade. Estudos têm mostrado que o consumo de frutos com caroço, tais como ameixas, ajuda na luta contra a síndrome metabólica, devido à presença de compostos bioativos (flavonoides e fenólicos).

 Os componentes, tais como antocianinas, ácidos clorogênicos, quercetina e catequinas, presentes nas ameixas, exercem a função anti-obesidade e anti-inflamatórios. E nos efeitos sobre as diferentes células do corpo, incluindo as células de gordura, eles também ajudam na prevenção de problemas relacionados à obesidade, tais como distúrbios de colesterol, diabetes e doenças cardiovasculares.

2.  Para Osteoporose: 

 

 O Consumo de ameixas secas exerce ações anabólicas e anti-reabsorção, o que ajuda na manutenção de ossos saudáveis. Os Flavonoides, tais como o ácido cafeico e rutina, que estão ambos presentes na ameixas, ajudam na inibição da degradação do tecido ósseo, e a prevenção de doenças, tais como a osteoporose na pós-menopausa das mulheres.

 Os polifenóis, juntamente com o teor de Potássio presente em ameixas secas, incentiva a formação de ossos, aumenta a densidade óssea e previne a perda óssea causada pela deficiência nos hormônios ovarianos. Pesquisas têm demonstrado que o consumo regular das ameixas secas ajuda na restauração da densidade óssea que já foram perdidos devido ao envelhecimento.

3. Para Digestão: 

 

 As Ameixas são uma boa fonte de fibra dietética, juntamente com o sorbitol e isatina, o que ajuda na regulação do sistema digestivo. De acordo com estudos realizados, as ameixas secas são mais eficazes no tratamento de distúrbios digestivos, como constipação, em comparação com outras soluções, tais como casca de psyllium. Sorbitol e isatina tem um efeito laxante e estimula a secreção de fluidos nas entranhas e promove a lavagem eficiente dos resíduos através do cólon.

 

 

4.  Para a Saúde Cognitiva: 

 

 Os flavonoides presentes no suco de ameixa são eficazes na proteção contra o prejuízo cognitivo relacionado com a idade. Os fitonutrientes benéficos presentes nas ameixas ajudam na redução da inflamação em áreas neurológicos para melhorar as funções de aprendizagem e a memória. O consumo regular de ameixa também ajuda na prevenção de doenças neurodegenerativas relacionadas com a idade, como as doenças de Alzheimer e de Parkinson.

 

 

5.  Para O Bom Colesterol:

 

 As ameixas secas ajudam na prevenção de hipercolesterolemia e hiperlipidemia. Um estudo comprovou a eficácia das ameixas secas mais do que o suco de uva na manutenção de níveis saudáveis de colesterol plasmático e hepático. O teor de fibra presente na ameixas também contribui para o efeito protetor no coração, reduzindo o colesterol LDL e ajudando a elevar os níveis de colesterol HDL (colesterol bom).

 

 

6.  Para Diabetes: 

 

 A ameixa exerce efeitos anti-hiperglicêmicos e ajuda no combate contra diabetes. Estudos têm mostrado que o consumo dos extratos das ameixas auxiliam na redução dos níveis de glicose e de triglicéridos no sangue. Os flavonoides presentes nas ameixas exercem efeitos protetores contra a resistência à insulinas.

 

 

7.  Para Sistema Nervoso:

 

 As Ameixas contém Vitamina B6, elas ajudam na transmissão de sinais nervosos e auxiliares para o bom funcionamento do sistema nervoso. Além disso, as Ameixas também ajudam no crescimento normal do cérebro. O triptofano é um aminoácido presente nas ameixas, que ajudam na produção do neurotransmissor “serotonina”, o qual desempenha um papel importante durante o sono, no apetite e na concentração .                                

8.  Para Sistema Imunológico:

 

 As Ameixas são benéficas no fortalecimento da defesa imunológica do organismo, devido à presença de Vitamina C. Ela promove a resistência do organismo contra várias infecções e inflamações. Pesquisas feitas mostraram que as ameixas têm componentes imunoestimulantes que estimulam a produção de óxido nítrico no corpo, impedindo, assim, a metástase de células tumorais, e são valiosos na prevenção de várias doenças.

 

 

9.  Para Saúde Celular:

 

 As Ameixas contêm Ferro e cobre, estes nutrientes auxiliam na formação de glóbulos vermelhos e facilitam a purificação do sangue e uma circulação saudável. O cobre das ameixas atua como um antioxidante e é essencial para a saúde do nervo e auxilia na formação de colagênio. Além disso, o consumo das ameixas também ajuda na absorção de ferro e previne várias doenças, tais como anemia e osteoartrite.

 

 

10.  Para Ansiedade:

 

 O consumo regular de ameixa ajuda na redução da ansiedade. Estudos forneceram provas sobre os efeitos ansiolíticos e propriedades antioxidantes dos ácidos clorogênicos presentes nas ameixas, que ajudam na cura de comportamentos relacionados à ansiedade e danos causados pelo estresse oxidativo.

 

 

11.  Para Gravidez:

 

 As Ameixas e produtos de ameixa são benéficos durante a gravidez, devido à abundância de várias vitaminas e minerais. Esses componentes benéficos são vitais para a visão, o desenvolvimento de ossos e tecidos, e saúde celular para a mãe, e para o bebê crescer saudável.

 A inclusão da ameixa como parte de uma dieta equilibrada ajuda na luta contra várias infecções e mantém a saúde em geral. No entanto, deve-se ter cuidado quanto à escolha de sucos de ameixa comercialmente disponíveis, pois eles podem conter quantidades elevadas de açúcar.

 

 

12.  Prevenção do Câncer:

 

 Extratos da ameixa foram provados serem benéficos no tratamento de câncer. Estudos têm mostrado que a epicatequina, um componente presente na ameixa, ajuda a inibir o crescimento e proliferação das células cancerosas malignas e induz a apoptose no carcinoma hepatocelular humano ou câncer do fígado. Além disso, as Ameixas são ricas em antioxidantes e fito nutrientes, incluindo ácido clorogênico e ácido neo-clorogênico, que têm um efeito curativo contra câncer de mama, sem prejudicar as células saudáveis do corpo.