Sanduíche de Tucumã

 INGREDIENTES

 ► Pão frances do tipo brotinho

 ► Raspas de tucumã

 ► Queijo coalho ou de sua preferência

  Margarina

  2 bananas prata

 

 

 MODO DE PREPARO

 Corte a bananas em fatias e passe elas na frigideira com um pouco de margarina.

 Em seguida passe manteiga no pão coloque o queijo, as raspas de tucumã e em seguida as bananas fritas.

 Coloque em uma sanduicheira e espere o queijo derreter.

 Tempo de preparo 5 min

 

Rendimento: 1 porção

Tucumã
Astrocaryum aculeatum

Conheça o tucumã, uma fruta da Amazônia

      O Tucumã é uma fruta de palmeira natural da Amazônia. Tem sabor salgado e oleoso. Fruto do tucumanzeiro, palmeira que chega a alcançar 10m de altura. Essa palmeira produz cachos com numerosos frutos de formato ovoide, casca amarelo-esverdeada e polpa fibrosa, amarela, característica, que reveste o caroço. A casca é também utilizada para fazer cosméticos. Da sua palmeira aproveitam as folhas, que são bastante resistentes e utilizadas para produção de cordas, redes de pesca e de dormir. Sua madeira é dura e resistente utilizada na fabricação de utensílios em geral.

       Em outras regiões, o tucumã também é conhecido como: acaiúra, acuiuru, coqueiro-tucumã, tucum, tucumã-açu, tucumã-arara, tucum-açu, tucumaí-da-terra-firme, tucumãí-uaçu, tucumã-piririca, tucumã-purupuru e tucum-do-mato.

       O tucumã tem características semelhantes à forma e composição do buriti.

       Em Manaus, a polpa da fruta é consumida in natura ou comumente em recheio de tapiocas, sanduíche, ingrediente para pizza... Comum nos cafés das manhãs regional, e também em alguns pratos típicos da culinária local. Pra quem não é de Manaus, as primeiras mordidas lembra o gosto de madeira.

       O sanduiche de tucumã, o “x-caboquinho”. Feito com pão francês, queijo coalho, tucumã e, em alguns casos, banana frita, ele é a atração principal dos cafés regionais que se espalham pelo estado. Não é só a sua popularidade que nos chama a atenção: o x-caboquinho na sua preparação levam 2 tucumãs, o que bastaria 1 para suprir as necessidades diárias de Vit A. Logo, o fruto não é só gostoso, também é nutritivo.

    O Tucumã é uma fruta da Amazônia que vem sendo utilizada para ajudar a prevenir e a tratar a Diabetes, pois ela é rica em Ômega-3, gordura que diminui a inflamação e o Colesterol alto, ajudando também no controle do nível de açúcar no sangue.

Então, confira os Benefícios do Tucumã para Saúde:

 

 O Tucumã Previne a Disfunção Erétil: Além de afrodisíaco, o Tucumã é importante para o sistema vascular e, portanto, ótimo para prevenir, por exemplo, a Disfunção Erétil.

 

 Tucumã Como Fonte de Cálcio: O Tucumã é rico em Cálcio que ajuda na construção de ossos fortes é saudáveis, mais também fortalece os dentes, melhora as contrações musculares e até na coagulação sanguínea.

 

  Para o Sistema Imunológico: O Tucumã além do delicioso suco que é possível obter por meio da fruta, ele também é fonte de Vitamina C, nutriente essencial para o Sistema Imunológico e para o emagrecimento. A Vitamina C funciona como antioxidante, barrando algumas doenças, como resfriados e tumores.

 

  Para Acne: O Tucumã também é uma boa fonte de Vitamina C, que ajuda nosso corpo a produzir Colágeno. O Colágeno é conhecido por manter a elasticidade da Pele, prevenir rugas e retardar o processo de envelhecimento. A Vitamina C também melhora a nossa Imunidade e ajuda a combater as bactérias da Pele causadora da Acne.

 

 Tucumã  é Rico em Magnésio: Ele produz energia e regula o açúcar no sangue e participa de diversas reações químicas no corpo. Além disso, O Magnésio contido no Tucumã ajuda a manter os níveis apropriados de outros minerais, tais como Cálcio, Potássio e de Zinco. Ele também ajuda na síntese de proteínas e no transporte de energia, facilitando a transmissão dos impulsos nervosos e regularizando as contrações musculares.

 

 Para Reduzir o Colesterol: No Tucumã há uma grande quantidade de Fibras solúveis que ajudam a reduzir o colesterol no sangue. O Ômega-3, são gorduras saudáveis e benéficas à saúde, podem ser encontrados no azeite. Dessa forma, sendo um dos alimentos que reduzem o Colesterol e previne ataques cardíacos, além de prevenir a formação de placas de gorduras nas artérias, também reduz o mau Colesterol (LDL) e aumenta o bom (HDL).

 Tucumã é Fonte de Vitamina C: A Vitamina C presente no Tucumã age como antioxidante no corpo e elimina ou neutraliza os radicais livres que podem causar doenças crônicas, incluindo o Câncer. A Vitamina C também estimula a produção de glóbulos brancos para atacar a doença e micróbios estranhos no corpo, além de funcionar como um elemento-chave na produção de Colágeno.

 

 

  Para Combater o Envelhecimento Precoce: No Tucumã contêm antioxidantes. Eles ajudam a melhorar a sua tez, oferecendo o alimento que sua Pele necessita. Eles também protegem o seu corpo de qualquer degeneração celular causada provavelmente devido ao Envelhecimento.

 

 

 Tucumã é Rico em Proteínas: Contribuem para o crescimento e desenvolvimento de músculos, ossos, ligamentos e tecidos. Elas ajudam a combater infecções estimulando o Sistema Imunológico. As Proteínas também são obrigadas a manter as funções corporais, como a Digestão, Metabolismo e circulação.

 

 

 Tucumã é Rico em Fibras: A Fibra é a parte indigesta dos carboidratos, encontrados principalmente em alimentos de origem vegetal como o Tucumã. Ele forma uma massa gelatinosa no nosso aparelho Digestivo. Ele transforma os alimentos em massa, facilitando a Digestão e aumentando a absorção de nutrientes. A Fibra ajuda a reduzir o risco de doenças crônicas, como a Hipertensão, Colesterol, Diabetes e doenças cardíacas.

 

 

 Tucumã é Fonte de Potássio: O Tucumã é fonte de Potássio que é essencialmente usado para manter o equilíbrio de fluidos, auxilia na função muscular, remoção de resíduos do corpo, ajuda a manter o sistema nervoso funcionando corretamente. A deficiência de potássio provoca fadiga, irritabilidade e hipertensão (pressão sanguínea).

Tucumã
Astrocaryum aculeatum

Cultivando

Família e distribuição: É uma palmeira nativa do norte da América do Sul, da família Arecaceae, sendo encontrada em terrenos relativamente secos, produzindo frutos em cachos, cuja safra vai de dezembro a abril. É também conhecida pelos nomes acaiúra, acuiuru, coqueiro tucumã, tucum, tucumã açu e tucumã arara.

Formas e tamanhos: É uma palmeira que chega a medir até 20 metros de altura, geralmente solitária, de estipe com faixas de espinhos negros, folhas ascendentes, frutos amarelos com tons avermelhados. Essa palmeira produz cachos com numerosos frutos de formato ovóide, casca amarelo-esverdeada e polpa fibrosa, amarela, oleaginosa característica, que reveste o caroço.

 

Utilização: Da polpa dos frutos e das sementes podem ser extraídos diferentes tipos de óleos comestíveis, além de servirem como suplemento alimentar e ração animal. O tronco da árvore de tucumã pode ser usado na construção de cercas vivas, currais e casas rústicas. As fibras das folhas, retiradas por um método manual chamado de maceração, são empregadas artesanalmente na fabricação de redes de pescar e de dormir, linhas para arco de flecha, cestos e balaios. Os indígenas usam as folhas da palmeira para confeccionar cordas dos arcos, redes para pesca e para dormir. Da madeira, dura e resistente, fazem muitas coisas, além de utilizarem o óleo da polpa e da amêndoa para untar corpo.

 

Confecção: Esta variedade de palmeira é fundamental para o artesanato, já que o caroço da fruta do tucumã é usado para a confecção de jóias, acessórios e objetos decorativos. Para se extrair o fruto é necessária muita habilidade, pois os grandes cachos são protegidos pelos longos e finos espinhos do tronco. A casca firme que envolve o tucumã, só pode ser retirada com o uso de faca. Os coletores de sementes retiram de cada árvore, aproximadamente 50 quilos por ano. As sementes são usadas na confecção de brincos, anéis, pulseiras, colares e até cosméticos.

 

Curiosidade: O povo Apurinã, do tronco linguístico Aruak, que se autodenomina Popingaré ou Kangitê habita ao longo do Rio Purus e seus afluentes. Desde inúmeras gerações, essa tribo indígena utilizava o caroço do tucumã para produzir colares. Para eles, esses adornos têm propriedades energéticas e servem como protetor espiritual. Também utilizavam o tronco da palmeira para fabricar seus instrumentos de guerra. Já para a Igreja Católica, os adereços dessa planta, a exemplo do anel de tucum, representavam a pobreza e humildade, por isso ainda hoje esse anel é utilizado pelos bispos como forma de demonstrar o amor aos pobres. Antigamente os pedaços quebrados do caroço eram trabalhados com paus e pedras, e lixados com folhas do mato, faziam com que a matéria-prima bruta se transformasse em uma semente bela e polida. Hoje as técnicas mudaram, mas o valor da semente ainda permanece intacto.

  

 

Cultivo: O tucumã é pouco exigente quanto à fertilidade do solo. A cultura não tem nenhuma dificuldade, a não ser o abastecimento de sementes ou mudas, que para acelerar e uniformizar o processo germinativo de algumas espécies, tem sido recomendada a remoção completa das partes do fruto que envolvem as sementes. As técnicas de plantio são similares às do açaí, porém não precisa de tanta água.

 

Cacho de tucumã