Cultivando

 O pêssego, espécie arbórea de origem chinesa e de folhas caducas, pertence a família Rosaceae. É uma frutífera exigente em tratos culturais intensivos e em cultivares adaptados ao clima local. Em São Paulo, a produção de pêssegos destina-se ao consumo in natura, com grande tendência no cultivo de cultivares precoces.


 

 O cultivo de pêssegos para conserva, pouco estimulado nos últimos anos, poderá apresentar incremento gradual, dada a aceitação crescente do produto industrializado, sob a forma de compotas, geléias, sucos e de pêssegos secos; nesse caso, é interessante que se lance mão de cultivares de dupla finalidade.


 

 Cultivares: para mesa: bem precoces: Flordaprince (AS), Tropical-1 e 2 (AS) e Maravilha (BS); precoces: Dourado-1 e 2 (AS), Douradão (AS), Aurora – 1 e 2 (AP), Jóia-1, 2, 3, 4 e 5 (BS), Ouromel – 2 e 3 (AS), Petisco-2 (AS), Centenário (AS), Delicioso Precoce (BS) e Premier (BS) (os dois últimos para regiões mais frias); medianos: Talismã (BP), Relíquia (BP), Alô Doçura (BP), Cristal (BP), Canário (AP), Catita (BS), Doçura (BS), Pérola de Mairinque (BP), Coral (BS) e Marli (BS) (os dois últimos para regiões mais frias); tardios: Biuti (AP) (dupla finalidade), Natal (BP) e Bolão (BS). Para conserva: precoce: Régis (AP) (dupla finalidade); tardios: Rei da Conserva (AP), Real (AP) e Diamante (AP). A – polpa amarela; B – polpa branca; S – caroço solto; P – caroço preso.


 

 Mudas e plantio: utilizar mudas enxertadas sobre cavalos de pessegueiro, propagados por sementes, de preferência do cultivar Okinawa, resistente aos nematóides de galhas. Mudas de raízes nuas: plantio em julho e agosto; em recipientes: qualquer época, de preferência na estação das águas.


 

 Espaçamento: 6 x 4m a 7 x 5m para plantios convencionais; 4 x 2m a 5 x 3m para plantios adensados.


 

 Mudas necessárias: 285 a 410 e 666 a 1.250/ha, de acordo com o espaçamento.


 

 Controle da erosão: plantio em nível ou cortando as águas, patamares ou banquetas em terrenos declivosos, capinas em ruas alternadas; roçadeira no período das águas; cobertura morta do solo.


 

 Calagem: de acordo com a análise de solo, aplicar calcário para elevar a saturação por bases a 70%, distribuindo o corretivo por todo o terreno antes do plantio ou mesmo durante a exploração do pomar, incorporando-o através de aração e/ou gradagem.


 

 Adubação de plantio: aplicar, por cova, 2kg de esterco de curral, bem curtido, 1kg de calcário magnesiano, 200g de P2O5 e 60 de K2O, pelo menos 30 dias antes do plantio. Em cobertura: a partir da brotação das mudas, aplicar ao redor da planta, 60g de N, em quatro parcelas de 15g, de dois em dois meses.


 

 Adubação de formação: para plantios convencionais, de acordo com a análise do solo e por ano de idade, aplicar 60 a 120 g/planta de cada um dos nutrientes: N, P2O5 e K2O; o N em quatro parcelas, de dois em dois meses, a partir do início da brotação.


 

 Adubação de produção: no pomar adulto convencional, a partir do 5º ano, dependendo da análise do solo e da produtividade, aplicar anualmente 3 t/ha de esterco de galinha, ou 15 t/ha de esterco de curral, bem curtido, e 90 a 180 kg/ha de N, 20 a 120 kg/ha de P2O5 e 30 a 150 kg/ha de K2O. Após a colheita, distribuir esterco, fósforo e potássio, na dosagem anual, em coroa larga, acompanhando a projeção da copa no solo, e, em seguida, misturá-los com a terra da superfície. Dividir o nitrogênio em quatro parcelas, aplicadas em cobertura, de dois em dois meses, a partir do início da brotação.


 

 Observação: para plantios adensados, aplicar os adubos, no pomar em formação e no adulto, de modo similar aos plantios convencionais, reduzindo as dosagens proporcionalmente à área ocupada por planta.


 

 Irrigação: Indispensável nas estiagens (por sulcos, gotejamento, em bacias ou aspersão); sua substituição parcial é feita por meio de cobertura morta, em áreas de adequado equilíbrio hídrico.


 

 Outros tratos culturais: capinas, podas de inverno e verão (desbrotas), desbate e ensacamento dos frutos (opcional, para proteção contra a mosca-das-frutas). Herbicidas: glyphosate, paraquat, diquat, gluphosinate de amônio, atrazine.


 

 Controle de pragas e doenças: no inverno – calda sulfocálcica concentrada, cianamida hidrogenada (para quebra de dormência), óleo mineral e caiação do tronco; na vegetação – fungicidas: mancozeb, benomyl, captan, enxofre, folpet, óleo mineral, dicloran, thiram, dithianon, dodine, quinomethionate e iprodione; bactericida: terramicina; inseticidas e/ou acaricidas: carbaryl, fenitrothion, ethion, tetradifon, enxofre, malathion, dimethoate, óleo mineral, formothion, trichlorfon, parathion methyl, deltamethrin, dichlorfon, azinphos, cyhexatin, phosmet, fenthion, quinomethionate e naled.


 

 Colheita: setembro a fevereiro, conforme o cultivar e a região; safras comerciais a partir do 2º ano de instalação do pomar: colheita manual de frutos no estádio de vez.


 

 Produtividade normal: 20 a 30 t/ha de frutos, em pomares adultos racionalmente conduzidos e conforme o espaçamento.


 

 Observações: O IAC vem dando ênfase às pesquisas que visam à obtenção de altas produções por área, através de novos sistemas de cultivo, com formação de plantas ananizantes e pomares compactos. Nesse sentido, os seguintes sistemas vêm mostrando resultados promissores: 


a) cultivo de pessegueiro precoces, enxertados sobre pessegueiro, em ultra-adensamento de plantio e com poda drástica anual e bienal, e 
b) cultivo de pessegueiros de diversas faixas de maturação, em enxertia interespecífica, tendo como porta-enxerto, clones de ameixeira e o damasqueiro-japonês (Prunus x Mume Sieb & Zucc).



 

Fonte: Boletim, IAC, 200, 1998.

Pêssego

Prunus persica L. Batsch

Características
Morfologia do Pêssego:

Pêssego

Prunus persica L. Batsch

Pêssego para que Serve e Propriedades

 

 Não é novidade que as frutas são excelentes aliados para quem quer emagrecer sem deixar de lado uma alimentação balanceada e saudável. Além de fornecerem nutrientes importantes para nosso corpo, as frutas ajudam a matar a fome entre as refeições.

 O pêssego é uma fruta excelente para compor um cardápio rico em nutrientes essenciais para nosso organismo, como vitaminas, minerais e antioxidantes. Vamos falar abaixo sobre os benefícios do pêssego, suas propriedades para a saúde e para que serve em uma dieta.

 

                           

Que fruta é essa?

 

  Fruta típica do verão, não é por acaso que está sempre presente nas festas de fim de ano. Mais abundante durante os meses de outubro, novembro e dezembro, o pêssego é mais barato nesta época, mas pode ser encontrado durante todo o ano.

  Originário da China, o pêssego é uma fruta popular ao redor do mundo não só pelo seu sabor adocicado e suave, mas também por suas propriedades nutritivas. Rico em potássio e cálcio, os benefícios do pêssego vão muito além de auxiliar na perda de peso.                                   

 

  Abundante em vitaminas A, C e do complexo B, o pêssego possui altos níveis de antioxidantes e é conhecido por fortalecer o sistema imunológico. É também um ótimo aliado para quem quer emagrecer, pois atua como diurético natural no nosso organismo.

 Frutas com nível de água elevado em sua composição promovem maior saciedade a quem as come. É o caso do pêssego, que combina seu alto teor de água com um gosto adocicado que, em conjunto, fornecem uma sensação ainda maior de satisfação logo após ser ingerido, sendo esse um dos importantes benefícios do pêssego para a boa forma.

 

 Sua casca, fina e aveludada, concentra a maior parte das fibras e nutrientes do pêssego, por isso é importante não descascá-lo antes de comer, atentando-se sempre para uma lavagem adequada da fruta.  

 Valores nutricionais  (100 gramas da fruta)

 

           ► 40 calorias;

           ► 9,5 gramas de carboidratos;

           ► 0,9 gramas de proteína;

           ► 0,2 gramas de gordura;

           ► 1,5 gramas de fibra;

           ► 0 colesterol.

Benefícios do pêssego em dietas?

 

  Além de dar saciedade, o pêssego possui propriedades que ajudam na perda de peso. Seu elevado teor de fibras aliado a suas baixas calorias e quase nada de gordura fazem desta fruta uma ótima opção para matar aquela vontade de doce depois de comer.

  Muito além de um lanchinho simples entre as refeições, o pêssego pode ser consumido em diferentes receitas, como em saladas, em wraps recheados com frango ou atum, com queijo cottage light, com iogurte e até em forma de mousse light.

 Vale lembrar que o suco de fruta pode parecer uma boa opção para quem quer emagrecer consumindo produtos naturais, mas na verdade engorda mais do que comer a fruta em si.

 Sua versão em caldas, apesar de muito popular, não é recomendada para quem tem o objetivo de emagrecer, já que este produto contém altos índices de açúcar em sua composição.

Confira os benefícios do Pêssego para a Saúde:

 

 

1. Ajuda na prevenção do câncer e outras doenças crônicas

 Muitos especialistas afirmam que o alto teor de antioxidantes do pêssego ajuda a combater a formação de radicais livres que possam causar alguns tipos de câncer.

 Os ácidos clorogênico e neoclorogênico, tipos de antioxidantes encontrados no pêssego, estão presentes na casca e na polpa, e funcionam como inibidores de radicais livres, que além do câncer podem favorecer doenças crônicas como o Alzheimer. Assim, podemos dizer que o pêssego tem propriedades que evitam a incidência destas doenças.

2. Controle do diabetes

 Alguns tipos de antioxidantes, como é o caso dos fitoquímicos presentes no pêssego, são considerados importantes aliados no controle do diabetes e da obesidade.

 É válido alertar que o pêssego em caldas não é recomendado para diabéticos, pois contém adição de açúcar em sua composição. Entretanto, o pêssego natural contém baixo índice glicêmico que, aliado com as vitaminas e minerais contidos na fruta, são responsáveis por benefícios do pêssego no controle da diabetes.

 

 

3. Saúde dos olhos

 Uma pesquisa realizada por médicos da Harvard indicou que o consumo de ao menos três porções de frutas frescas por dia pode diminuir os riscos de degeneração macular relacionada à idade.

 O pêssego, além de ajudar nesse aspecto, contém betacaroteno, composto que aparece em pesquisas recentes associado à redução de catarata, outra grave doença ocular.

 

 

4. Sistema cardiovascular

 De acordo com o médico Mark Houston, professor da Venderbilt Medical School, a fibra, o potássio e a vitamina C presentes nos pêssegos colaboram com a boa saúde do sistema cardiovascular. Seu estudo aponta que quem consome mais de 4000 mg de potássio por dia tem 49% menos chances de morrer de doenças do coração.

 Além disso, o pêssego é rico em outros compostos importantes para a saúde do coração: o ferro e vitamina K. Esta última protege o coração de doenças cardíacas impedindo a coagulação do sangue, enquanto o ferro é essencial para manter o sangue saudável.

 

 

5. Sistema nervoso

 

 O sistema nervoso é beneficiado pelo magnésio contido no pêssego, que ajuda a prevenir estresse e ansiedade. Uma pesquisa feita por estudiosos do Texas aponta resultados positivos em pacientes com depressão que seguiram uma dieta rica em magnésio.

Com quase 5 miligramas de magnésio em 50 gramas da fruta, é possível dizer que o pêssego tem poder de ajudar na recuperação de pessoas que sofrem de depressão.

6. Contra constipação

 

 Assim como a ameixa, um dos benefícios do pêssego é ajudar no bom funcionamento do intestino por conta de suas propriedades laxantes. Nosso organismo precisa de uma grande quantidade de fibras e água para que o sistema digestivo funcione bem, e o pêssego é bastante rico em ambos. É importante consumir o pêssego sem descascar, pois a maior parte da fibra está concentrada na casca.

7. Rins e fígado

 Por seu efeito diurético, mais um dos benefícios do pêssego é a redução de doenças dos rins, fígado e bexiga, sendo um ótimo aliado na manutenção da boa função renal. Na China é muito comum usar o chá de pêssego como remédio natural contra problemas renais.

 O pêssego também é conhecido pelo seu poder desintoxicante, ajudando a eliminar toxinas dos rins e fígado. Não é sem razão que há uma infinidade de produtos como chás desintoxicantes compostos com extratos de pêssego e que são amplamente consumidos em todo o mundo.

 

 

8. Pele e cabelos mais bonitos

 Fonte de zinco, o pêssego tem propriedades antienvelhecimento, pois este composto é conhecido pelo aumento de anticorpos que inibem o dano celular causado por radicais livres.

 A vitamina C contida no pêssego também é um fator que ajuda na redução de aparição de rugas, por isso é um produto muito utilizado na fabricação de cosméticos para o rosto. A expressão “pele de pêssego” nunca fez tanto sentido!

 Além disso, especialistas afirmam que os nutrientes e antioxidantes contidos no pêssego podem evitar a queda de cabelo, além ajudar no crescimento das madeixas.

 

 

9. Ossos e dentes saudáveis

 

 O fósforo e o cálcio contidos no pêssego ajudam dentes e ossos a ficarem mais fortes, além de serem preventivos de doenças como a descalcificação, que pode causar osteoporose.

Também podemos salientar que os minerais encontrados no pêssego, como ferro e flúor, são muito benéficos na prevenção de cáries e outros problemas dentais.

 

 

10. Perda de peso

 

 Poucas calorias, quase zero de gordura e muita água em sua composição fazem do pêssego um ótimo aliado na perda de peso.

Comer pêssego e outras frutas ricas em fibras entre as refeições é uma maneira inteligente de saciar sua fome sem deixar o sabor de lado.

Algumas Variedades de Pêssego
Pêssego Chimarrita
Prunus persica

Planta de vigor médio e forma aberta. Fruto de tamanho grande, sabor doce, forma redonda sem ponta e com sutura levemente desenvolvida.

Pessego Douradão
( Prunus persica )

Planta de porte compacto com menor desenvolvimento de ramos. Fruto de tamanho grande, sabor doce-acidulado equilibrado e agradável, forma globoso-oblongo. Película com até 90% vermelho-estriada sobre fundo amarelo-claro, a polpa é amarela, firme, fibrosa e livre do caroço.

Pêssego Dourado
Prunus persica

Planta de fácil cultivo, deve ser plantada em solos férteis, com umidade constante, porém com boa drenagem. Plantar a pleno sol. Necessita de poda anual em Julho, para maior produtividade.

Pessego do Mato ou Ubajai
( Hexaclamys edulis )

Inicia a produção em 3 a 4 anos após o plantio. Produz de Setembro a Outubro. Planta de fácil cultivo, deve ser plantada a pleno sol. Aceita a maioria dos solos. Com manejo adequado é possível produzir em vasos.

Pêssego Aurora
Prunus persica
Pêssego Barbosa
Prunus persica

Planta de bom vigor. Fruto de tamanho pequeno, sabor doce, praticamente sem acidez, forma redonda a cônica, podendo apresentar ponta e sutura levemente desenvolvida. A película é amarelo-clara, com até40 % a 50% de vermelho e a polpa é amarela muito firme e aderente ao caroço.

Planta de vigor médio. Fruto de tamanho grande, sabor doce, forma ovalada, podendo apresentar sutura desenvolvida e ponta mediana. A película é creme esverdeada com vermelho, podendo cobrir de 40 a 90% da superfície do fruto, a polpa é branca com vermelho junto ao caroço e livre deste. A plena floração ocorre na terceira dezena de agosto, ou início de setembro.

Pêssego Rubimel BRS
Prunus persica

Fruto de tamanho médio a grande, sabor doce com acidez praticamente ausente, forma redonda a redondo cônica, sem ápice proeminente. A película apresenta de 50% a 80% de vermelho sobre fundo amarelo, a polpa é amarela, firme e semi-aderente ao caroço. Floração ocorre geralmente na segunda quinzena de julho.

Pêssego Marli
Prunus persica

Planta vigorosa e forma aberta. Fruto de tamanho grande, sabor doce com leve adstringência, forma cônica, sutura desenvolvida e pequena ponta. A película é esverdeada com até 40% de vermelho-escuro, e a polpa é semi-livre, esverdeada com até 40% de manchas rosadas e de vermelho ao redor do caroço. Floração ocorre geralmente na segunda quinzena de agosto, podendo em alguns anos estender-se até o início ou meados de setembro.

Pêssego Premier
Prunus persica

Planta vigorosa. Fruto de tamanho pequeno a médio, sabor doce quase sem acidez e forma ovalada ou redondo-ovalada. A película é creme-esverdeada com 40% de vermelho, a polpa é branco-esverdeada e semi-livre. Floração ocorre geralmente na última semana de julho, podendo ás vezes ocorrer na segunda semana de agosto.

Pêssego Planalto
Prunus persica

Planta vigorosa e muito produtiva. Fruto de tamanho grande, com sabor inferior ao da cultivar Coral e forma tendendo a ovalada. A película é creme-esverdeada, com 20% a 50% de vermelho, a polpa é branco-esverdeada, firme e aderente ao caroço. Floração início de setembro.

Pêssego Zilli
Prunus persica
Pêssego Brs-Fascínio
Prunus persica

Surgiu de mutação espontânea do Chimarrita em Descanso SC na propriedade de seu Agenor Zilli, levando com isso o sobrenome da Família. Polpa amarela, firme com baixa acidez de ótimo sabor tendo como destaque um filete branco na linha de sutura. Floração bem no inicio de agosto. Maturação de final de outubro até primeira quinzena de novembro na região oeste de SC.

Obtida através de cruzamento do pêssego Chimarrita e nectarina Linda. Tem frutos grandes com 250g a 300g. Sabor doce e baixa acidez, caroço aderente, polpa branco esverdeada não fundente. Frutos de cor vermelho marmorizado. Floração em meados de agosto e maturação em meados de dezembro logo após a cultivar Chimarrita para a região sul.