Veja algumas variedades

  Embora existam cerca de 25 cultivares de figueira no Brasil, apenas uma é comercial. Esta cultivar, denominada 'Roxo de Valinhos', foi introduzida no Brasil por um imigrante italiano que cultivou a figueira em Valinhos. É uma cultivar rústica, vigorosa e produtiva, com boa adaptação a diversos climas que ocorrem no Brasil, além de ser adaptada ao sistema de poda drástica. O fruto é alongado, grande e periforme, com pedúnculo curto, coloração externa roxo-escura e na região interna da polpa, rosa-violácea.

 As frutas podem ser destinadas tanto para o consumo "in natura" quanto para a industrialização, na forma de doces em calda e cristalizados. Apesar de suas diversas vantagens, apresenta a limitação de possuir um ostíolo muito aberto, com tendência e rachaduras, favorecendo a ocorrência de doenças e pragas. Em outros países, a cultivar Roxo de Valinhos apresenta vários sinônimos, tais como 'Nero', 'Corbo', 'Brown Turkey', 'Granata', e 'San Pairo'.

Além desta cultivar, há outras com menor importância:

 a) Pingo-de-Mel, Também conhecida como 'Kadota', apresentou importância comercial no Brasil no início do século e hoje é pouco cultivada praticamente não apresentando importância comercial. Adapta-se bem ao sistema de poda drástica produzindo figos muito doces, de tamanho médio, periformes e com polpa de cor âmbar;

 

 b) Verdona longa, Também conhecida como 'White Adriatc', também apresenta polpa clara, com tons de carmin. Caracteriza-se por não tolerar podas drásticas, devendo-se realizar podas leves para que esta cultivar produza adequadamente;

 

 c) Nóbile, Que parece ser a mesma variedade cultivada antigamente no Rio grande de Sul com o nome de 'Branco', suporta podas drásticas, produz figos de tamanho médio, de polpa creme e de sabor muito doce.

Figo Roxo de Valinhos
Figo Branco Pingo de Mel ou Kadota
Figo Nóbile
Características
Morfologia do Figo

Figo

Ficus carica L.

Propriedades e Benefícios do Figo para a Saúde:

  Com origem no território da Ásia Menor, ou Turquia, o figo cresceu como destaque entre as frutas importantes do comércio característico da região do Mediterrâneo oriental, Estados Unidos, e ainda na Espanha. Engana-se quem pensa que o sabor do figo é desfrutado há pouco tempo, pois o fruto se mostrava presente desde a Antiguidade romana.

  Há uma vasta variedade de tipos desta fruta, e estas são cultivadas nessas diferentes regiões citadas acima. Os benefícios do figo não só incluem fornecimento de Potássio, fibras, como também quantidade significativa do mineral Manganês. O percentual calórico é uma das principais informações convenientes, principalmente para os adeptos de dietas.

 Os benefícios do figo ainda se estendem àqueles que desejam manter a boa forma, pois a fruta é livre de gorduras, e 100 gramas da fruta fornecem apenas 74 calorias. O figo ainda possui baixo teor de Sódio, o que evita a retenção de líquidos, característica comum das pessoas que lidam com dificuldade de perda de peso.

 Os figos frescos são fontes de poli-fenólico de flavonoides e antioxidantes, tais como caroteno, luteína, taninos, ácido clorogênico, e muitos outros. A função desses antioxidantes é tamanha, que o figo é comparado à maçã. O fruto ainda pode ser reconhecido como fonte de vitaminas de complexo B, como niacina, piridoxina, folatos e ácido pantoténico, contribuindo com o metabolismo de gorduras, proteínas e carboidratos.

Os principais benefícios do figo para a nossa saúde :

1. Reduz a pressão arterial:

 Os figos são uma boa fonte de Potássio, que é um mineral que pode ajudar no controle da pressão arterial e batimentos cardíacos. O consumo regular de figo pode auxiliar na deficiência de Potássio, já que o baixo consumo deste, combinado com a ingestão de Sódio, pode levar à hipertensão. Sabemos que há diversas pessoas que não consomem as porções ideais de legumes e frutas, porém, estas consomem alta quantidade de Sódio, que está muito presente em alimentos de fast-food e processados.

2. Ajuda na perda de peso:

 O figo pode ser considerado uma boa fonte de fibra dietética. É importante que saibamos que os alimentos ricos em fibras podem oferecer efeitos positivos à gestão de peso. Pessoas que consomem figos regularmente podem notar que as fibras podem oferecer sensação de saciedade, o que reduz a fome, assim ingere-se menos porções, não favorecendo ao ganho excessivo de peso. O figo é um dos alimentos indicados para o melhor gerenciamento de peso.

 Consumir um ou dois figos antes das refeições pode ajudar você a se sentir saciado, o que o fará ingerir porções menores nas refeições seguintes.

3. Previne o câncer de mama:

 Sendo o figo uma fruta rica em fibras, pesquisas foram realizadas a fim de estudar a eficiência dessas fibras para reduzir os efeitos no período de pós-menopausa das mulheres. Foi comprovado que o maior consumo dessas fibras pode reduzir até 34% do risco de ocorrência de câncer de mama. Já em mulheres que nunca haviam se submetido à reposição hormonal, a redução do risco foi de 50%.

4. Diabetes:

  Esse efeito não só se limita à ingestão da fruta, mas também das folhas de figueira. Sim, elas são comestíveis e possuem justificativas suficientes para você se sentir convencido de comê-las. É dito que a fruta e as folhas possuem propriedades antidiabéticas, o ácido clorogênico é um dos principais responsáveis por esses benefícios do figo, podendo ser eficiente para o equilíbrio dos níveis de insulina necessários para as pessoas que sofrem com diabetes e necessitam da suplementação desta.

  O consumo regular não só pode ser feito ao comer a fruta como sobremesa nas refeições, como também através da extração do líquido contido nas folhas de figueira.

5. Fluxo intestinal:

 Os figos podem agir positivamente contra constipação intestinal, assim estimulando o funcionamento regular do seu intestino. As fibras contidas no fruto podem manter seu organismo mais limpo através do efeito levemente laxativo, já que haverá a eliminação regular de toxinas. A limpeza do canal anal também pode reverter consequências originadas de hemorroidas.

 Para obter esses efeitos, o recomendado é o consumo diário de 2 porções de figo, ou reservar de 2 a 4 figos em um copo de água durante a noite, guardando-os para consumo na manhã seguinte, sem desperdiçar a água. Os compostos fito-químicos ajudam ainda na eliminação de oxigênio prejudicial, o qual é derivado de radicais livres do corpo.

6. Anemia:

 Os figos são ricos em Ferro, principal mineral para o controle de glóbulos vermelhos e prevenção de anemias. O consumo desse fruto é, principalmente, recomendado para mulheres gestantes e crianças, pois devem manter os níveis de glóbulos vermelhos.

7. Antioxidantes:

 Pesquisas demonstraram que mais um dos benefícios do figo é auxiliar no aumento significativo na capacidade antioxidante, a qual se estende às 4 horas consecutivas após a ingestão. Essa contribuição permite que o corpo supere estresses oxidativos de consumo de alimentos pouco saudáveis, como aqueles com xarope de milho, rico em frutose, comum em bebidas carbonadas. As opções de figos mais escuros contam com maior capacidade antioxidante e fitonutrientes.

8. Efeito anti-inflamatório:

 Os legumes e verduras são referências para a manutenção da saúde da visão, mas o que poucas pessoas sabem é que ao consumir no mínimo três porções por dia de figo é possível reduzir o risco de degeneração macular relacionada à idade, que é a principal causa de perda de visão de adultos com idade mais avançada.

 Os figos possuem alto nível do flavonoide luteolina, que oferece ações anti-inflamatórias específicas para todo o corpo. A Luteolina possui capacidade antioxidante forte que pode neutralizar radicais livres.  Quando comparada, esta pode ser eficaz no bloqueio de crescimento de tumores, além de auxiliar na prevenção e tratamento de cancro da pele.

9. Fortalece os ossos:

 Os benefícios do figo ainda podem favorecer os ossos, pois a fruta é rica em Cálcio e Potássio, nutriente fundamental para a prevenção de osteoporose, e ainda aumentando a densidade óssea.

10. Reduz fadiga e beneficia os músculos:

 O consumo de fibras pode ajudar nos níveis de energia. É importante que saibamos que metade das fibras ingeridas são absorvidas por bactérias. As fibras ingeridas podem ser então absorvidas e enviadas diretamente para os músculos, sendo reconhecida como uma fonte de combustível imediato. Essa energia produzida pode combater à fadiga e colaborar com o efeito anabólico, aumentando ainda o rendimento nos treinos.

Cultivando

 


 

  Frutífera da família Moraceae, originária da região arábica mediterrânea, apresenta folhas caducas que caem no outono-inverno. A figueira se desenvolve melhor nas regiões subtropicais temperadas, mas é de comportamento cosmopolita, com grande capacidade de adaptação climática. Apresenta porte arbustivo nos pomares paulistas, conduzidos sob poda drástica. Os figos destinam-se ao consumo in natura ou à industrialização, em forma de doces em calda (verdes e inchados), cristalizados, figada e secos do tipo rami.


 

 Cultivar: Roxo de Valinhos ou clonal similar.


 

 Mudas e plantio: Estacas enraizadas. Mudas de raízes nuas: em junho a julho; em recipientes: em qualquer época, porém, de preferência, na estação das águas. Utilizar mudas provenientes de viveiros livres de nematóide; evitar o aproveitamento de filhotes que se formam junto do tronco das plantas adultas. A estaquia direta no campo é um processo de multiplicação que pode ser conveniente pela maior rapidez na implantação do figueiral, sob condições favoráveis de clima e solo.


 

 Espaçamento: 3,5 x 2,0m (básico) e 3,0 x 1,0m (adensado).


 

 Mudas necessárias: 1.400/ha (básico) e 3.300/ha (adensado).


 

 Controle da erosão: Plantio em linhas de nível ou cortando as águas, patamares ou banquetas em terrenos mais declivosos, capinas em ruas alternadas, cobertura morta em todo o terreno, ou pelo menos na linha das plantas.


 

 Calagem: De acordo com análise de solo, aplicar calcário para elevar a saturação por bases a 70%. Aplicar o corretivo por todo o terreno, antes do plantio ou menos durante a exploração do pomar, incorporando-o mediante aração e gradagem.


 

 Adubação de plantio: Aplicar, por cova, 2 kg de esterco de galinha ou 10kg de esterco de curral, 1kg de calcário magnesiano, 200g de P2O5 e 60g de K2O, pelo menos 30 dias antes do plantio. Em cobertura, a partir do início da brotação das mudas, aplicar, ao redor da planta, 60g de N em quatro parcelas de 15g, de dois em dois meses.


 

 Adubação de formação: Para plantios sob espaçamento básico e de acordo com a análise de solo, aplicar, por ano de idade, 20 a 60 g/planta de cada um dos nutrientes: N, P2O5 e K2O; efetuar a aplicação de N em quatro parcelas, de dois em dois meses, a partir do início da brotação.


 

 Adubação de produção: No pomar adulto, sob espaçamento básico, a partir do 5º ano, conforme a análise de solo e a produtividade, aplicar anualmente, 3t/ha de esterco de galinha, ou 15 t/ha de esterco de curral bem curtido, e 140 a 280 kg/ha de N. 40 a 200 kg/ha de P2O5 e 40 a 240 kg/ha de K2O. Após a colheita, distribuir esterco, fósforo e potássio, na dosagem anual, acompanhando a projeção da copa da planta no solo e, em seguida, misturá-lo com a terra da superfície. Dividir a aplicação do nitrogênio em quatro parcelas, em cobertura, de dois em dois meses, a partir do início da brotação.


 

 Observação: Para plantios adensados, aplicar os adubos, no pomar em formação e no adulto, de modo similar aos plantios básicos, reduzindo as dosagens proporcionalmente à área ocupada por planta.


 

 Irrigação: Aconselhável nas estiagens da primavera de modo localizado e, de preferência, por gotejamento.


 

 Outros tratos culturais: Poda anual drástica de inverno e desbrotas, para manter a copa arejada, com 15 a 20 ramos por planta; manter espessa camada de cobertura morta, com capim gordura ou bagacilho de cana.


 

 Controle de pragas e doenças: No inverno – caiação do tronco; na vegetação – fungicidas calda bordalesa, ziram, enxofre, mancozeb, cúpricos, oxicloreto de cobre + mancozeb; e inseticidas azinphós ethyl, fenitrothion, deltamethrin, trichlorfon, parathion methyl, óleo mineral, enxofre (acaricida).


 

 Colheita: Dezembro a abril. Safras comerciais a partir do 2º ano de instalação do pomar e colheita manual dos frutos, em dois a três repasses semanais, nos estádios: maduro, inchado ou verde, conforme a destinação do produto.


 

 Produtividade normal: 20 a 22 t/ha de frutos maduros ou inchados, ou 10 t/ha de verdes em pomares adultos racionalmente conduzidos.


 

Fonte: Boletim, IAC, 200, 1998.

Figo

Ficus carica L.