Vídeos Relacionados

Como tirar mudas de Amora Preta

Embrapa lança a BRS Xingu - Amora Preta

  Os benefícios das Folhas de Amora

      A amora é uma delícia e sua folha não deixa por menos. É nativa do Brasil e seu nome científico é Morus alba. Possui inúmeros benefícios, entre eles o sonho mais cobiçado de todas as mulheres, ficar magra e com a barriga sequinha. Suas frutas são deliciosas, cheias de cor e docinhas, por isso seu chá não é amargo e é uma das plantas mais indicadas quando se fala em cuidar e prevenir problemas de saúde.

 

 

 Os benefícios são vários! Ela combate o envelhecimento, problemas de memória, dores de cabeça e mais. Tem propriedades calmantes e ainda limpa o sangue e o chá é praticamente um milagre que só traz benefícios.

 

 

  Para quem sofre com enxaquecas, uma ótima alternativa para curá-las é tomar chá de amora, de 1 a 2 vezes por dia. Esse procedimento também alivia cólicas menstruais e sintomas da menopausa. O chá também ajuda na prevenção da infecção urinária.

 

 

  Suas folhas têm ação anticancerígena. Por ter alto teor de potássio, é um ótimo aliado no combate à osteoporose até bem mais que o leite; além disso, contém uma combinação de vitamina C e E contribuindo para combater o envelhecimento precoce da pele e até a rejuvenescendo. Finalmente, é um ótimo aliado para combater problemas de memória.

 

 

 Emagrece!

 

 

  A amora ajuda a emagrecer devido as suas fibras, afinal regula o intestino e não retém líquidos. A vantagem desse chá é que ele não é amargo e, portanto, beber um litro por dia não vira um sacrifício, já que, por ter um gosto agradável, inibe a vontade de comer doces. A ação das folhas ajuda a abaixar a glicose inibindo o acúmulo de gordura, o que, consequentemente, reduz o colesterol, melhorando o funcionamento dos rins e do fígado.

 

Cuide bem do coração

 

   Para quem sofre com problemas do coração, a fruta e o chá são altamente recomendados. Eles normalizam e inibem a elevação da pressão arterial, limpam o sangue e têm os seus efeitos na beleza também, revitalizando a circulação do couro cabeludo – prevenindo a calvície, rejuvenescendo os fios e auxiliando contra a queda de cabelo.

 

 

Como fazer chá de amora?

 

   Lave três folhas de amora. Em uma chaleira com 1 litro de água fervente, coloque as folhas e deixe por mais 15 minutos ao fogo e desligue, aguarde esfriar. Coe e adoce com mel ou açúcar.

 Contraindicações

   Não há contraindicações conhecidas em relação ao chá de AMORA. Contudo, seu consumo em gestantes e lactantes deve ser avaliado anteriormente por um profissional nutricionista. A infusão das folhas, devido à alta quantidade de taninos, quando em exagero, pode promover irritação das mucosas digestivas.

Fotos de algumas variedades

AMORA SARÇA ou SILVESTRE 

( Rubus fruticosus )

Comparação de tamanho entre o fruto da Amora Gigante Portuguesa e da Amora Preta comum.

AMORA GIGANTE PORTUGUESA

( Morus nigra )

Amora Preta

Rubus sp

A Amora Preta é repleta de nutrientes!

  Amora está entre os alimentos que provaram em estudos serem muito benéficos para a saúde. Devido ao seu alto teor em nutrientes tais como: antioxidantes, fitonutrientes, fibras, Ferro, Magnésio, Potássio, Zinco etc. Amora é eficaz em evitar danos nas células de DNA a partir dos radicais livres, que são a causa de muitos problemas de saúde, como o câncer, doenças cardiovasculares, degeneração muscular, envelhecimento e muitos mais. Amora também é eficaz em melhorar a saúde dos olhos, a imunidade, melhora a memória e promove a saúde do cabelo.

 

 Existem três tipos de amoras: brancas, pretas e vermelhas. Amoras Pretas são as melhores entre a branca e a vermelha em sabor e saúde.

Veja os benefícios da Amora :

  Contra o Envelhecimento: O envelhecimento é causado pelos danos celulares devido aos radicais livres, que são produzidos devido ao estresse oxidativo. Mas os antioxidantes, caroteno e fitonutrientes, neutralizam os radicais livres e protegem contra o envelhecimento. Comer alimentos ricos nesses nutrientes, como a Amora Preta, nutre a pele e a deixa mais saudável.

 

  Prevenção do Câncer: Amora é rica em antioxidantes e fitonutrientes que protegem do câncer. Também é eficaz em parar o crescimento e disseminação das células tumorais.

 

  Anemia: Amora é rica em ferro, que protege contra a anemia.

   Diabéticos: Os flavonoides presentes nas amoras provaram ser benéficos em controlar os níveis de açúcares. Por isso, a amora é benéfica para evitar a complicação de diabetes devido à elevação do pico de açúcar.

   Coração: Comer amoras é benéfico para o coração. Reforça o sistema nervoso e reduz o mau colesterol, assim, impede o bloqueio do fluxo de sangue. Por isso, é eficaz para prevenir ataques cardíacos e derrames.

  Sistema Imunológico: Amora é uma excelente fonte de vitamina C, com isso seu sistema imunológico irá se  fortalecer e terá melhores defesas contra as doenças comuns, como resfriado, gripe ou alguma infecção.

 

  Para os Olhos: Amora é muito benéfica para a saúde dos olhos. Também protege o olho dos radicais livres, que é a causa da perda de visão e à degeneração da retina.

 

  Benefícios da Amora  Para o Cabelo: Amoras fortalecem, nutrem e promovem o crescimento do cabelo. Também pode ser utilizada para evitar embranquecimento do cabelo.

   Para o Cérebro: Amora é um dos melhores tônicos cerebrais, para aumentar a memória e promover um  cérebro saudável.

  Purificador do sangue: Amora é bom purificador do sangue. Também melhora a circulação sanguínea. 

  Prisão de ventre: Amoras são ricas em fibras que melhoram a digestão, assim, evita a constipação.

 Cultivando

  Planta arbustiva, de porte ereto, semi-ereto ou rasteiro, pertencente à família Rosaceae. O gênero Robus, do qual faz parte, engloba mais de 400 espécies, fato que, somado ao elevado índice de cruzamentos naturais, dificulta a identificação das espécies. Bastante rústica e de fácil manejo, com exigências climáticas semelhantes às do morangueiro, constitui-se em opção para exploração intensiva de pequenas propriedades rurais. A maioria das variedades recomendadas para cultivo apresentam hastes recobertas por espinhos. Seus frutos se prestam para o consumo in natura e para a elaboração de geleias, sucos, doces de massa, tortas e fermentados, podendo também ser congelados ou utilizados como polpa para uso em iogurtes e sorvetes.

 Cultivares: sem espinhos: Ébano (porte rasteiro); com espinhos: Brazos (porte semi-ereto), Comanche, Cherokee, Tupy, Guarani, Negrita e Caigangue (porte ereto).


 

 Plantio: deve ser realizado, de preferência, nos meses mais frios do ano. Podem ser usadas estacas de raiz (10 a 15cm de comprimentos e diâmetros de um lápis) ou mudas produzidas em viveiros, através de estacas herbáceas (20 a 25cm de comprimento), ‘perfilhos’ e ‘mergulhos’.


 

 Espaçamento: para condução das plantas em renque, no sistema de espaldeira, o espaçamento entre linhas pode variar de 2,5 a 4m, dependendo dos equipamentos que serão usados na cultura. Na linha, as estacas de raiz devem ser espaçadas de 50cm e as mudas de 70cm.


 

 Calagem: deverá ser feita, de acordo com a análise de solo, para elevar a saturação por bases a 70%.


 

 Adubação: as covas não devem ser adubadas. Após o estabelecimento da cultura, ainda no primeiro ano, aplicar 20 a 40 kg/ha de N, 40 a 80 kg/ha de P2O5 e 20 a 40 kg/ha de K2O, dependendo do número de plantas por área e da análise de solo. A partir do segundo ano, aplicar 180 a 400 kg/ha de N, 80 a 160 kg/ha de P2O5 e 40 a 80 kg/ha de K2O, de acordo com o número de plantas por área; o N deve ser parcelado em três aplicações, logo após o inverno, nos meados da primavera e após a colheita.


 

 Outros tratos culturais: controle das plantas invasoras ou uso da cobertura morta; podas de verão e de inverno; controle de pragas e doenças, quando necessário.


 

 Colheita: novembro a fevereiro, dependendo da variedade e da região onde se localiza a cultura. Fazer a colheita a cada dois ou três dias, somente dos frutos completamente pretos, e colocá-los em recipientes rasos, para evitar o amassamento. Não devem ser expostos ao sol para que não se tornem avermelhados.

 Produtividade: 8 a 16t/ha de frutos, por ano; em plantações bem conduzidas, a produção se mantém econômica por um período de 12 a 15 anos.



 

Fonte: Boletim, IAC, 200, 1998.

Amora Preta

Rubus sp

AMORA BRANCA

( Morus alba )