Receita - Preparando o Chá:
 

 É usada para: Diabetes e/ou Colesterol elevado

 Parte usada: Folha

 Estado para uso: Seco

 Tipo de manipulação: Chá

 

 

 

     MODO DE USAR

 Quantidade: 1 xícara

 Número de vezes ao dia: 2x ao dia

 Administração: via oral

 Contra-indicação: Não ingerir excessivamente

 

 Esse modo de preparo encontrei em um site de plantas medicinais. Mas a pessoa acima mencionada tomava um copo de 200ml 3 vezes ao dia, para um litro de água ela coloca 3 folhas,e estiverem muito pequenas ela coloca 4, deixa ferver, espera uns 10 minutos com a panela tampada para apurar e por na geladeira para gelar, pois o gosto não é muito agradável e gelado fica mais fácil para tomar.

Cultivando

 Nome e Significado: GOITI’IBA vem do tupi guarani GOI- massa, polpa, TI – fio ou cabelo e IBA – fruta, de modo que a etimologia do nome é “Fruta com massa cabeluda” fazendo alusão aos fiapos impregnados na polpa. Também recebe os nomes de: Manga da praia, Milho cozido, Fruta cabeluda, Guailí, Guití, Oiti, Oiti cagão, Oiti da praia, Oiti mirim e Uiti.

 

 

 Origem: Ocorre nas florestas de restingas que existem desde o estado de Pernambuco até o estado do Espírito Santo, podendo ser encontrada também em Minas Gerais no Vale do Rio Doce, Brasil.

 

 Características: Árvore de 8 a 20 m de altura, com copa globosa com largura igual a metade da sua altura. O tronco é reto, cresce de 30 a 65 cm de diâmetro, tem casca áspera de coloração cinzenta ou marrom claro. O tronco é curto e bifurca-se na altura de 3 a 4 metros, formando galhos vigorosos e ascendentes. Os ramos jovens têm coloração prateada e são lanoso tomentosos (com pelos densos e brancacentos) quando jovens, tornando-se glabros (sem pelos) à medida que crescem. As folhas são simples, sempre alternadas, oblongas (mais longa que larga), lanceoladas (com forma de lança), de textura cartácea (como cartolina), e densamente tomentosas (cobertas de lanugem) que ao esfregar fica parecendo teia de aranha. A lamina foliar mede 4 a 13 cm de comprimento por 1,5 a 4,5 cm de largura, a base é obtusa ou cuneada (forma de cunha) e tem 2 glândulas pálidas, bastante características; o ápice é acuminado (com ponta longa) e desprovido de glândulasl. As flores surgem em racemos (tipo de cacho longo) axilares (na junção da folha e ramo) ao longo dos ramos com diâmetro inferior a 1,5 cm. Esses cachos medem de 3 a 7 cm de comprimento, tem raque (eixo central) esparsamente tomentoso, de coloração esverdeada, contendo 3 a 7 verticilos (nós) contendo cada um cerca de 4 ou 5 minúsculas flores brancas. O fruto é uma drupa oblonga (mais longa que larga) medindo 6 a 12 cm de comprimento por 3 a 5 cm de diâmetro, com casca fina, verde escura no inicio passando para o amarelo dourado na altura da maturação, tendo uma grande semente que mede 4 a 8 cm de comprimento por 2 a 3,5 cm de diâmetro, envolvida por polpa macia e adocicada com 1 a 2,5 cm de espessura com inúmeros fiapos no meio da carne.

 

 

 Dicas para cultivo: Arvore de crescimento rápido que se adapta-se a climas temperados com pouca geada (forma a arvore mais raramente frutifica) e tropicais ou subtropicais resistindo a secas e a geadas ocasionais de até -2 graus. Aprecia solos vermelhos ou arenosos, profundos e ricos em matéria orgânica e que tenham rápida drenagem da água das chuvas e tenha pH acido de 4,8 a 5,9.

 

 

 Mudas: Sementes são grandes, de cor castanha, protegidas por uma casca fibrosa que absorve bem a umidade contribuindo para germinação do embrião. Não é recomendado armazenar essa semente por mais de 40 dias. A germinação inicia na primavera e leva de 20 a 60 dias. As sementes devem ser plantadas diretamente em sacos individuais contendo substrato feito de 30% de areia saibro, 40% de terra vermelha de barranco e 30% de esterco bem curtido. As mudas podem ser formadas a pleno sol e estas atingem 40 cm com 6 a 8 meses após a germinação. Inicia a frutificação com 8 a 10 anos após o plantio.

 

 

 Plantando: Recomendo que seja plantada a pleno sol num espaçamento 6 ou 8 m entre plantas, se o solo for fértil. As covas devem ter 50 cm de largura, profundidade e altura. Deve-se misturar com os 30 cm de solo fértil iniciais, 6 a 7 pás  de esterco bem curtido, 200 g de calcário e 1 kg de cinza de madeira. Deixar curtir por 2 meses e fazer o plantio entre outubro a dezembro. Depois é só irrigar 10 l de água após o plantio a cada 15 dias se não chover.

 

 

 Cultivando: A planta cresce rapidamente e não necessita de cuidados especiais. Fazer poda de formação e eliminar as brotações que surgirem na base do caule e os galhos cruzados ou os voltados para o interior da copa. Adubar com composto orgânico, pode ser 6 kg composto orgânico curtido (meio a meio de folhas e esterco de gado) + 40 g de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 4ª ano, depois é só manter a mesma quantidade de adubação ano após ano. Distribuir os nutrientes à 5 cm de profundidade, em círculos distanciados à 30 cm do tronco.

 

 

 Usos: Frutifica de fevereiro a Março. A árvore tem linda floração com potencial apícola para abelhas nativas; sua copa é perenifólia e por isso vem sendo cultivada com sucesso como arvore de sombra e na arborização urbana. O fruto tem gosto de Murici com Manga e apesar de ter pouca polpa, esta produz um ótimo suco com leite ou um ótimo sorvete. O fruto só deve ser consumido após colhido da arvore quando totalmente maduro e deixados “chegar o ponto” por 4 a 5 dias.

Oiti

LICANIA TOMENTOSA

Oiti

LICANIA TOMENTOSA

 Oiti , um fruto do sertão

  A Oiticica (Licania rigida Benth), da família Chrysobalanaceae, é uma planta típica do sertão nordestino, é uma árvore de espécie ciliar dos cursos de água temporários do Semi-Árido nordestino, sendo encontrada nos Estados da Paraíba, Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte, e tem grande importância, quer pelo aspecto ambiental de ser uma espécie arbórea perene sempre verde que preserva as margens dos rios e riachos temporários na região da caatinga, quer como espécie produtora de óleo. Durante todo o ano, inclusive nos períodos de seca, comuns às regiões de ocorrência natural dessa planta,  mantém-se verde e fornece sombra ao homem e diversos outros animais.

 A casca do fruto é verde, mesmo quando maduro, mas se torna amarelo-escuro quando seca. Além de ser empregada na indústria de tintas de automóvel e para tintas de impressoras jato de tinta, além de vernizes, biodiesel e na apicultura, a Oiticica também é utilizada como planta medicinal, onde emprega-se o decocto ou macerado das folhas no tratamento do diabetes, colesterol elevado e ação analgésica, e as folhas, extremamente rígidas e coriáceas, se prestam para polir artefatos de chifre.

Os Benefícios do Chá da folha do Oiti



 Chá da Folha de Oiti no Tratamento da Diabétes e Colesterol Elevado, veja:

 

  Recentemente, uma pessoa bem próxima a mim apresentou os níveis de glicose no sangue bem elevados: em jejum 397, urinando bastante a aparecendo formiga na urina. Resultado - diabete.

 Ficamos bastante preocupados e enquanto ela procurava um endocrinologista para repetir os exames e saber qual a conduta a ser adotada a partir de agora, ainda sem intervenção medicamentosa nenhuma, passou a tomar o chá da folha de oiticica que, segundo lhe informaram, ajudaria a regularizar os níveis de glicose no sangue. Essa mesma pessoa que indicou o chá é diabético e já estava tomando esse chá e obtendo ótimos resultados. E foi isso que ela fez, passou a tomar três vezes ao dia o chá da folha de oiticica, não vez dieta alguma, não reduziu massas e açúcares.

  

 Mas, o fato é que, para nossa surpresa, o nível de açúcar no sangue realmente começou a baixar durante o primeiro mês de uso, e com o passar de alguns meses as taxas regularizaram de tal forma que a endocrinologista informou que ela não estava diabética e que não precisaria mais tomar os medicamentos específicos, que o chá teria feito um efeito positivo.

 Por isso, indicamos para vários conhecidos e familiares com o mesmo problema e quem experimentou, percebeu diminuição dos níveis de açúcar no sangue para a normalidade. Achei muito interessante e por isso estou compartilhando com vocês. Se vocês conhecem alguém que tem diabete, pense a respeito desse chá da folha de oiticica, converse com o seu médico para ver se tem alguma contra indicação para o seu caso e experimente. Os resultados são muito bons e comprovados com pesquisas cientificas.