Artesanatos feitos com cabaça
Cabaça
Lagenaria vulgaris

Cultivando

Clima

 

 É cultivada praticamente em todas as regiões de clima tropical e subtropical do mundo, e pode ser cultivada em qualquer região livre de geadas e de temperaturas muito baixas, embora cresça melhor com temperaturas entre 18 e 30°C. Em regiões mais frias, pode ser cultivada durante os meses mais quentes do ano, e em estufas, se necessário.

 

 

Luminosidade

 

 Necessita de luz solar direta.

 

 Mesmo sendo uma das plantas da família da abóbora que melhor suportam temperaturas relativamente baixas, a cabaça ou porongo cresce melhor em clima quente.

Solo

 

 O solo deve ser bem drenado, e o ideal é que seja leve, fértil e rico em matéria orgânica. Esta planta é tolerante quanto ao pH do solo, mas o ideal é um pH entre 6 e 7.

 

Irrigação

 

 Irrigue de forma a manter o solo sempre úmido, porém evitando que permaneça encharcado.

 

 A cabaça ou porongo pode crescer sobre cercas, treliças ou caramanchões

 

 

Plantio

 

  A cabaça ou porongo também pode ser cultivada sem tutoramento, crescendo rasteira.

 A cabaça é uma planta trepadeira anual de caule herbáceo. As flores são, em geral, amarelas ou brancas. Os frutos, de várias cores e feitios, atingem em média 40 centímetros de diâmetro. É uma baga bem desenvolvida com parede externa precocemente endurecida e parte interna carnosa,preenchida pela placenta.

 

 É uma cultura tolerante à falta de água, principalmente no período após a emissão das ramas até oinício da frutificação. Deve-se evitar solos ácidos e mal drenados. A cabaça absorve grandes quantidades de potássio, concentrando-se a absorção dos 10 aos 60 dias após a emergência. O nitrogênio é absorvido em quantidades similares ao potássio devido ao grande desenvolvimento da parte aérea. O fósforo, o cálcio e o magnésio são absorvidos em menores quantidades desde o início do desenvolvimento das plantas.  

 

 Nos solos arenosos deficientes em fósforo e potássio, bons resultados são obtidos com adubação de NPK 5-20-20, na quantidade de 150 kg/ha misturados com 50 kg/ha de calcário Filler. Em áreas com pouca matéria orgânica, usa-se 50 kg/ha de uréia. O plantio da cabaça é realizado nos meses de Agosto até Outubro. O espaçamento entre fileiras pode ser de 1,5 a 2,0 m, deixando-se duas plantas por metro linear ou por cova, separadas por 1,0m, resultando numa densidade de 10.000 a 13.300 plantas/ha. Normalmente utilizam-se três sementes por cova. O uso de maiores densidades de plantas/ha favorece a rápida cobertura do solo, reduz a infestação de plantas daninhas e resulta na produção de frutos de menor tamanho, o que é desejado pela indústria de cuias.

 

 No início dos crescimentos das plântulas, principalmente em semeaduras tardias, pode ocorrer o aparecimento de vaquinha (uma praga), que ataca os cotilédones afetando significativamente o desenvolvimento e podendo levar à morte de plantas. As plantas são atacadas também por percevejos no final do ciclo da cultura. O percevejo suga a seiva das ramas podendo causar a morte das plantas, interrompendo o crescimento dos frutos, impedindo seu uso para a fabricação de cuias. O controle de pragas deve ser muito criterioso, pois se trata de uma planta cujas flores são polinizadas exclusivamente por insetos. As doenças que ocorrem na cabaça são o oídio, o míldio e a antracnose. Pode-se usar calda bordalesa para o controle. A calda bordalesa é um tradicional fungicida agrícola, resultado da mistura simples de sulfato de cobre, cal hidratada ou cal virgem e água.

 

Tratos culturais

 

 Esta planta pode ser cultivada sem tutoramento, com os ramos crescendo sobre o solo, mas o ideal é cultivá-la de forma que possa crescer sobre cercas, treliças ou caramanchões, para aumentar a produtividade por área e para que os frutos não fiquem em contato com o solo.

 

 Retire com cuidado as ervas invasoras que estiverem concorrendo por recursos e nutrientes, pois as raízes desta planta são relativamente superficiais.

 

 Se não houver insetos para fazer a polinização, esta pode ser realizada manualmente, colhendo flores masculinas e tocando estas levemente nas flores femininas, de forma que as anteras cobertas de pólen entrem em contato com o estigma da flor feminina. Também é possível usar, por exemplo, um pincel de cerdas macias para transferir o pólen das flores masculinas para as flores femininas.

 

 

Colheita

 

 A colheita é realizada após o secamento natural da planta, 130 – 150 dias após a semeadura.

 

 Normalmente a primeira colheita se faz no mês de Janeiro. Os frutos são colhidos e amontoados à sombra para que a secagem ocorra de forma lenta. A produtividade média das cabaças de casca fina pode chegar a 12.000 frutos/ha e os de casco grosso a 6.000 frutos/ha. Se o fruto for colhido verde, murcha. A dica para saber se ele já está maduro é bater com força na casca, utilizando uma faca, depois que a cabaça ficar amarelada. Se a faca não se prender ao fruto, a cabaça já pode ser colhida. Outra maneira é deixar a cabaça secar na lavoura, até o cabo ressecar e a cabaça adquirir sua cor tradicional.  Começa aí, o processo de beneficiamento da cabaça para transformá-lo em cuia.

Cabaça
Lagenaria vulgaris

Cabaça, muitos benefícios e utilidades

 

   Planta da família das Cucurbitaceae, também conhecida como cabaça-amargosa, cabeça-de-romeiro, cabaça-purunga, cabaço-amargoso, cocombro, cuia, cuieteseira porongo, taquera. É erva trepadeira, um pouco perfumada, caule grosso e anguloso, folhas curto pecioladas, cordiformes; flores brancas, grandes, solitárias ou subsolitárias; o fruto é baga crustácea, densamente vilosa, depois glabra, brancacenta e depois amarelada, muito polimorfa, mas geralmente oblonga até 50 cm de comprimento; sementes brancas, comprimidas, marginadas, até 2cm de diâmetro. É também planta ornamental. Muito cultivada na Europa e no Extremo Oriente, suas flores são belíssimas e sua folhagem vigorosa.

 O que mais desperta curiosidade são as formas do seu fruto bem como a quantidade deles a um só tempo.  Chegam a frutificar 60 ou mais contemporaneamente sendo que na China e no Japão seus modelos esquisitos são ainda desconhecidos no Brasil. Depois de esvaziados, seus belos frutos são usados para a feitura de vasilhames, na maioria dos países onde vegeta. Na França chamam-na Courge Massue e na Itália chamam-na Zucca dei Pellegrini. Em Portugal apelidaram-na de cabeça de romeiro. No Brasil também é cultivada e seu fruto é transformado nos famosos "afuchês" dos conjuntos musicais, bem como servem para vários vasilhames dos quais um deles recebe o nome de "cuia". É a famosa cabaça.

 

  Parte utilizada: fruto verde, folhas, sementes.

 

 Propriedades medicinais: amarga, drástica, emoliente, maturativa (polpa dos frutos); purgativa e antinefrítica (sementes).

 

 Indicações: apressar partos e curar frieiras (folhas, aquecidas e aplicadas topicamente); pernas inchadas (cataplasmas); melancolia, clorose, obstrução das vísceras (clisteres).

 

 Contraindicações/cuidados: Doses abusivas podem resultar em hemorragias mortais, precedidas por sintomas similares aos da cólera morbus.

 

 Modo de Usar : O fruto depois de maduro, sua polpa fica amarga e se constitui um purgativo drástico; é emoliente e maturativa, muito usada em cataplasmas para curar a inchação das pernas, assim como em clisteres para combater a melancolia, a clorose e a obstrução das vísceras. Porém, seu uso deve ser controlado, pois, se a dose for exagerada causará hemorragias mortais, precedidas de sintomas idênticos ao do cólera-morbo. Suas folhas, depois de aquecidas e aplicadas topicamente, servem para apressar os partos e para curar as frieiras. Das suas sementes faz-se uma bebida forte e eficaz contra a nefrite, e que também é purgativa.

Vamos ver agora os benefícios da cabaça :

 A Cabaça é baixa em calorias. Elas fornecem apenas 15 calorias por 100 gramas de consumo. A Cabaça é rica em água, fibras dietéticas e de hidratos de carbono. Além disso, A Cabaça Também é uma boa fonte de complexos de vitamina B, de Vitamina C, Potássio, Cálcio, Magnésio, Ferro, Zinco e Fósforo.

  Digestão: A Cabaça é um alimento bem saudável para o estômago. Ela evita dores de estômago e indigestão. As Cabaças são facilmente digeríveis como elas são ricos em água e fibras alimentares. A fibra dietética é útil contra hemorroidas e prisão de ventre. Devido à sua natureza alcalina, seu suco é frequentemente recomendada quando uma pessoa sofre de úlceras de estômago e acidez.

  Perda de Peso: A Cabaça pode ser consumida em forma de suco ou fervura. Ela é pobre em calorias e fornece apenas 15 calorias por 100 gramas de consumo. Além disso, é rica em fibra alimentar e pode manter uma pessoa saciada.

  Diuréticas: A Cabaça é diurética e podem ajudar a eliminar as toxinas do corpo. Sensação de ardor e dificuldade de urinar pode ser causada devido ao alto nível de ácido na urina. A Cabaça é de natureza alcalina e pode, assim, proporcionar alívio a partir dele.

  Diabéticos: O Suco da Cabaça vem diminuindo a diabetes tipo 2. A cabaça Faz a secreção de insulina mais sensível e regula o nível de glicose no corpo. A fibra dietética também pode retardar a absorção de glucose no corpo, impedindo, assim, anormais picos no nível de açúcar.

 

 Rica em Zinco: As Cabaças são uma boa fonte de zinco. O zinco é necessário para regular as atividades de genes, os níveis hormonais e promove a membrana celular saudável.

OUTROS BENEFÍCIOS DA CABAÇA PARA SAÚDE

 O Suco de Cabaça é recomendado e pode ser consumida para acalmar os nervos e pode induzir o sono.

 Ela é uma rica fonte de vitamina C. Ele pode ajudar a proteger contra os danos dos radicais livres e pode ser benéfica para a pele. por causa da Vitamina C que também elimina os patógenos e pode ser protetora contra gripe e resfriado.

Outros usos: - Confecção de vasilhames, cuias para chimarrão, peças de artesanato, afuchês, maracás e berimbaus (fruto maduro sem polpa e sementes) e isca atrativa para a vaquinha, tem pouco valor alimentar, sendo o fruto comestível apenas enquanto verde e pequeno.